Numa iniciativa de rentrée da Juventude Socialista, o líder do PS falou do aumento do número de colocações no Ensino Superior para retirar daí louros para o seu Governo. António Costa considera que esse aumento “representa a morte de um modelo de desenvolvimento que a direita quis impor no país, um país sem salários, sem direitos e sem estado social”.

Mas não só, para o secretário-geral do PS e primeiro-ministro, “haver mais matrículas no Ensino Superior demonstra bem que a grande quebra não era demográfica, mas sim devida às dificuldades financeiras” que as pessoas sofriam e que, garante, “agora estão um pouco minoradas”. Mais, para Costa o registo que se verificou este ano, depois de terem saído as primeiras colocações no Ensino Superior, é também “um sinal de confiança no futuro“.

Para o socialista, a “relação de confiança é muito gratificante” e é “também uma enorme responsabilidade”.”Daqui a três anos temos de responder” a quem agora entrou na faculdade e “dizer que valeu a pena esse investimento”.