J.K.Rowling continua a preencher o nosso imaginário com o mundo de Hogwarts. Desta vez, foi para confirmar o rumor de que o personagem Remus Lupin é uma metáfora para doenças que acarretam algum estigma social, como a sida e o VIH.

Para a autora, este é um segredo que deveria ter sido descoberto pelos leitores aquando das primeiras entrevistas, há 17 anos, mas só agora é que está a dar que falar. Tudo se passou no Twitter, rede social onde a autora é bastante ativa.

“A tão chamada ‘revelação’ que agora circula é reciclada de entrevistas de há 17 anos, nas quais me perguntaram se o tratamento de Lupin pode ser visto como uma metáfora para condições estigmatizadas. Eu concordei que podia ser.”, partilhou a autora na sua conta do Twitter.

Remus Lupin foi um professor de Hogwarts durante o 3º ano letivo de Harry Potter. Descrito como alguém de apeto cansado e doente, tinha de esconder a maldição de ser lobisomem. Esta condição era considerada perigosa porque punha em causa a vida dos habitantes de Hogwarts, apesar de o professor ter feito de tudo para não “contagiar” ninguém.

Personagem interpretada por David Thewlis, Lupin acaba por morrer na Batalha de Hogwarts juntamente com a sua companheira. As causas nunca foram descritas, mas o seu corpo aparentava estar em paz. O facto de sempre ter lutado pelas causas certas fez com que fosse lembrado pelo homem que foi e não pelo estigma que tinha.