Lutou profissionalmente durante 48 anos e nunca ninguém lhe viu a cara. Mostrou-a só uma vez, uma semana antes de morrer. El Santo nasceu no dia 23 de setembro de 1917 e o doodle da Google para esta sexta-feira é dedicado a este luchador icónico que popularizou a luta livre mexicana.

O doodle produzido pela empresa americana conta, por imagens, a história Rodolfo Guzmán Huerta, mais conhecido no mundo como El Santo, um dos maiores luchadores da história do México, como explica a Google.

https://www.youtube.com/watch?v=osu0X4BgNxo

Rodolfo Guzmán Huerta nasceu em Tulancingo, em 1917, no México, filho de Jesús Guzmán Campuzano e Josefina Huerta de Gúzman. Foi o quinto de sete filhos que o casal teve.

Aos três anos, Rodolfo mudou-se com a família para a Cidade do México onde praticou futebol americano e basebol, antes de se interessar pela lucha-libre. Embora não seja certo o ano em que começou a prática de forma profissional, é certo que em 1935 já combatia em certos circuitos. Nestes primeiros anos lutou sob vários nomes como: Rudy Guzmán, El Hombre Rojo (O Homem Vermelho); El Demonio Negro (O Demónio Negro) ou El Murcielago II (O Morcego II), em homenagem a Jesus Velazquez, El Murcielago original. Velazquez fez queixa do lutador por se ter apoderado do seu nome original, o que levou a que Guzmán a deixar de usar tal nome.

Em 1942 Guzmán recebeu o convite de participar numa equipa de lutadores que se vestissem todos de prateado e foi-lhe dada a hipótese de escolher entre três nomes: El Santo (O Santo), El Diablo (O Diabo) ou El Angel (O Anjo). A escolha recaiu sobre a primeira hipótese e a estreia como El Santo aconteceu a 26 de junho, na Arena Mexico.

Alguns dos combates mais célebres do El Santo aconteceram em 1952 quando teve uma história de confronto com dois lutadores: Los Hermanos Shadow (Os Irmãos Shadow), uma equipa composta por Blue Demon (Demónio Azul) e Black Shadow (Sombra Preta). A rivalidade começou num combate entre El Santo e Black Shadow que terminou com o El Santo a tirar a máscara de Black Shadow – uma ofensa à honra de qualquer lutador. O evento vem retratado no doodle, na sétima imagem. O “Demónio Azul” quis vingar a honra do companheiro e os dois lutadores defrontaram-se várias vezes entre 1952 e 1953, tendo o feudo terminado com uma derrota de El Santo face a Blue Demon.

El Santo continuou a lutar até ao dia 12 de setembro de 1982, quando fez o combate derradeiro em que juntamente com Gory Guerrerro, Huracán Ramirez e El Solitario, derrotou Perro Aguayo, El Signo, Negro Navarro e El Texano.

https://www.youtube.com/watch?v=aRalVVKttQU

O ícone cultural

Em 1952 El Santo tornou-se a personagem principal de uma série de banda-desenhada criada por José Guadalupe Cruz. A banda desenhada recebeu o nome Santo, el Enmascarado de Plata (o Mascarado de Prata).

As histórias contadas eram muitas vezes mirabolantes, tendo o “El Santo” lutado contra extraterrestres e monstros durante as suas aventuras dentro das páginas aos quadradinhos.

Os livros foram publicados durante 35 anos, tendo terminado em 1987, já depois da morte de Guzmán.

Santolucha

A personagem de El Santo chegou também ao cinema, primeiro num filme em que a personagem principal era interpretada pelo lutador El Médico Asesino, que usava uma máscara branca semelhante à de Guzmán.

Em 1958, o lutador participou em dois filmes com Fernando Osés – outro lutador – surgindo os dois como uma dupla de super-heróis nos filmes El Cerebro del Mar e Hombres Infernales. Os filmes foram realizados por Joselito Rodríguez.

Em 1961, com o filme El Santo vs The Zombies, o lutador teve o seu primeiro papel principal e acabou por participar em 52 filmes de luta livre. O filme de maior impacto económico – e considerado por muitos como o melhor – foi Santo vs. las Mujeres Vampiro de 1962.

O orgulho por detrás da máscara

El Santo teve, ao longo de toda a sua carreira, uma preocupação em manter a cara escondida atrás da sua característica máscara prateada.

Quando comia, o lutador usava uma máscara diferente, com uma abertura na zona da boca e quando viajava de avião tentava marcar um voo diferente do da sua equipa para evitar que estes o vissem tirar a sua máscara para poder embarcar.

A única vez que o El Santo retirou, publicamente, a sua máscara foi em janeiro de 1984, uma semana antes de morrer. O lutador era um convidado do programa de televisão mexicano, Contrapunto e decidiu puxar a máscara para cima, apenas o suficiente para se ver os seus olhos, voltando depois a tapar a cara. Pode ver o “desmascaramento” no vídeo abaixo.

No dia 5 de fevereiro de 1984, El Santo morreu de ataque cardíaco, durante um espetáculo apresentado por ele mesmo. O testamento do lutador mostrava a sua vontade de ser enterrado com a sua máscara prateada, uma vontade a que os familiares acederam.

O seu funeral é considerado um dos maiores na história do México com milhares de fãs e amigos a juntarem-se para poder prestar uma última homenagem ao El Santo.

Depois da sua morte foi erguida uma estátua em sua honra em Tulancingo, a sua cidade natal.