No ritual habitual do dia de Ação de Graças, esta quarta-feira, Barack Obama, ainda presidente dos Estados Unidos da América, perdoou dois perus. Pela primeira vez, as filhas não participaram da cerimónia. No entanto, dois sobrinhos viram, atentos, a comemoração e até tentaram dar festinhas aos animais, como mostra o The New York Times.

Dos cerca de 46 milhões de perus que são abatidos nesta data festiva, há o costume de perdoar dois, numa cerimónia que se tornou um ritual para o país, onde o presidente costuma discursar, proferindo palavras engraçadas e trocadilhos. Este ano, o discurso começou com Barack Obama a afirmar que as filhas não estavam presentes porque, simplesmente, já não conseguiam aguentar mais as suas piadas sobre perus.

Felizmente, tenho ao meu lado dois dos meus sobrinhos (…) que, ao contrário da Malia e da Sasha, ainda não se tornaram céticos sobre Washington. (…) Eles ainda apreciam a grandeza desta ocasião… eles ainda têm esperança. Já a Malia e a Sasha estão muito contentes que este seja o meu último ano a perdoar perus… o que eu ainda não lhes disse foi que nós vamos fazer isto todos os anos, de agora em diante, sem câmaras, só nós”, afirmou Obama, entre risos.

Continuando no mesmo registo, Obama falou dos milhares de perus que, ao contrário dos dois que perdoou, não tiveram a mesma sorte e que enfrentaram o destino de “forma corajosa e honrosa” e que “provaram que não são galinhas”. Aproveitando o choro de um bebé na plateia, Obama, novamente entre risos, diz: “Oh, vá lá, também não é assim tão mau”.

Após este momento mais descontraído, o discurso de Barack Obama abordou os pontos positivos que devem deixar a América contente: os valores crescentes da educação, segurança, economia, dos mercados e dos planos de saúde. Aproveitou ainda para deixar claro que, nos últimos anos, se tem lutado pelos ideais e valores de igualdade, porque o povo americano “protege as costas uns dos outros” e tem valores de igualdade “comuns ao resto da humanidade” e que dá segundas oportunidades aos que necessitam, como é o caso dos refugiados.

Neste dia de Ação de Graças, quero expressar-vos a minha sincera gratidão para com o povo americano, pela confiança que depositou em mim neste últimos oito anos de mandato e para com a incrível bondade que sempre mostrou para comigo e para com a minha família. Em nome da minha mulher Michelle, da minha sobra e das minhas filhas, um muito, muito obrigado. (…) Mas vamos continuar com o perdão, porque é quarta-feira à tarde e toda a gente sabe que o trânsito do dia de Ação de Graças pode deixar todos de mau humor”, afirmou.

Perdão de 2014

Perdão de 2015