Esta quarta-feira a Huawei inaugurou em Lisboa o primeiro centro de inovação e experimentação, representando assim um forte investimento em Portugal e vai proporcionar uma maior proximidade à inovação e às novas tecnologias entre os dois países (Portugal e China). Na inauguração esteve presente o ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, que considerou “muito positivo” o reforço da presença da empresa chinesa em Portugal.

Penso que a Huawei é uma das grandes empresas mundiais e tem tido um empenhamento em Portugal muito grande”, afirmou Manuel Caldeira Cabral, à margem da inauguração do Huawei Portugal Innovation & Experience Center, em Lisboa.

“Vimos hoje [esta quarta-feira] o empenhamento” da empresa “de trazer inovação a Portugal e também empenhamento com a formação de 5.000 estudantes universitários que se propõe a fazer nos próximos anos, reforçando as competências” dos profissionais portugueses, disse o governante, salientando que isso mostra “uma grande aposta em melhorar as competências dos trabalhadores nas tecnologias de informação” e “certamente no interesse próprio de criar empregos em Portugal nesta área”. Por isso, “é muito positivo este novo anúncio do reforço da presença e reforço da parceria que tem com o nosso país”, afirmou.

Na inauguração esteve ainda o Secretário de Estado da Indústria, João Vasconcelos, o Embaixador da China em Portugal, Cai Run e ainda o diretor executivo da Huawei Technologies, Guo Ping, que reforçou a visão que a marca chinesa tem para Portugal de continuar a inovar e a investir no país abrindo um ecossistema de parcerias que permitem a transformação digital.

A Huawei foi das primeiras marcas chinesas a investir em Portugal e com o centro de investigação vai abrir lugar a mais locais de trabalho além dos 100 já garantidos. O embaixador da China em Portugal afirmou que o centro de inovação “vai promover ainda mais o intercâmbio e a comunicação dos dois países [Portugal e China] nas áreas da comunicação”.

O ministro da Economia lembrou que na visita à China, o primeiro-ministro, António Costa, visitou a empresa.”Convidámos a Huawei para o nosso projeto de indústria 4.0 e deu um contributo muito interessante”, prosseguiu, apontando ainda as parcerias entre a tecnológica chinesa e a PT e as empresas de fabrico de contadores inteligentes.

Estamos a falar de um mercado de milhões de produtos”, sendo que a Huawei “pode colocar estes produtos de parcerias que venha a criar com empresas portuguesas em todo o mundo, criando mais atividade, mais emprego em Portugal”, declarou.

Alguns dos pontos em que o novo centro da Huawei pensa começar a investir são: as futuras ligações 5G, serviços que funcionem à base da cloud, a Internet das Coisas, a realidade virtual e a inteligência artificial, entre outras novidades tecnológicas que, por norma, demoram mais tempo a chegar a Portugal. Com a aproximação e o investimento da marca chinesa Portugal pode começar a receber, mais rapidamente, algumas das futuras inovações tecnológicas.