Se o dia já tinha sido longo em Alvalade, o que dizer de uma noite onde, mais uma vez, a divulgação dos resultados se arrastou madrugada dentro? Tudo e mais alguma coisa. Porque foi no final, antes do discurso de consagração de Bruno de Carvalho, foram conhecidos os grandes vencedores e derrotados do ato eleitoral.

Vencedores: Bruno de Carvalho, lista independente ao CL e “O Sportinguista”

Bruno de Carvalho

Nunca se colocaram dúvidas em relação à reeleição, mas a verdade é que a votação acabou por superar as expetativas do staff do presidente reeleito (e do próprio). Não era propriamente por uma questão de meritocracia do adversário na campanha, mas mais pela quantidade de votos que poderia atrair contra o atual líder. A verdade é que Bruno de Carvalho ganhou em toda a linha e viveu mais uma noite de glória, com um total de 86.13% (74.982 votos) contra apenas 9,49% (8.262) de Madeira Rodrigues.

Lista independente do Conselho Leonino

A lista liderada por Gonçalo Nascimento Rodrigues conseguiu um total de 20,67% no Conselho Leonino (17.825 votos), um resultado altamente positivo para um grupo independente que saiu beneficiado por dois fatores: demarcou-se da campanha pela negativa que foi feita pelos outros candidatos; e apresentou algo palpável para o órgão. Não sendo números fechados nem oficiais, é provável que tenha a representação de dez elementos no Conselho Leonino, pelo menos o dobro da lista A

“O Sportinguista”

Deduzindo a votação por concorrência, estas não seriam as eleições mais votadas de sempre. No entanto, essa possibilidade que não existia em 1988 há agora, pelo que o recorde do maior número de associados a exercerem o seu direito foi batido (18.755). Daí que, entre os vitoriosos do dia é obrigatório que surja a figura do sportinguista, não só pela forte adesão às urnas mas também pelas centenas e centenas de pessoas que aproveitaram o dia para dar também uma espreitadela ao novo pavilhão e foram à sessão de autógrafos na Loja Verde. Recorde-se que, a meio da tarde, a espera para votar chegou a ser de quase duas horas e mesmo assim houve recorde.

Derrotados: Madeira Rodrigues, Rui Morgado e Conselho Leonino

Madeira Rodrigues

Após ter saído do debate entre os candidatos com grande confiança, a campanha do candidato da lista A começou a cair a pique e nem a apresentação Juande Ramos e a promessa de Taison alteraram esse trajeto (pelo contrário, até o adensaram). Apesar do total domínio de Bruno de Carvalho, Pedro Madeira Rodrigues tinha possibilidade de fazer bem mais. E ainda conseguiu a melhor percentagem de todas no Conselho Fiscal, com um total de 10,55% (9.173 votos) contra 82,72% (78.894 votos).

Rui Morgado

Havia uma luta paralelo ao Conselho Diretivo que era a Mesa da Assembleia Geral e Rui Morgado, até por ter feito parte do elenco de Bruno de Carvalho, apostava muito em conseguir um resultado superior ao de Madeira Rodrigues neste duelo particular contra Jaime Marta Soares. Também aqui a derrota foi pesada, com 10,2% (8.923 votos) contra 82,5% do candidato da lista B. Recorde-se, por exemplo, que Carlos Teixeira, candidato à Mesa da Assembleia Geral de Carlos Severino em 2013, quase quintuplicou o resultado do concorrente à presidência no último sufrágio.

Conselho Leonino

Mais uma vez, o órgão teve uma percentagem de votos brancos e nulos na ordem dos 6% o que, em paralelo com as ideias defendidas pela lista independente, mostra um ponto importante: os associados do Sporting querem reformar ou, no limite, acabar com o órgão. Mas não foi só aí que a quantidade de votos brancos ou nulos teve um impacto razoável – a Assembleia Geral e o Conselho Fiscal tiveram 6,73%, ao passo que o Conselho Direito ficou-se pelos 4,38%.