O prejuízo causado pelos incêndios no centro do país poderá ascender a 497 milhões de euros, revela um relatório do Governo publicado esta segunda-feira.

De acordo com o documento a que a estação pública teve acesso, o fogo afetou 491 casas. Destas, 169 eram de primeira habitação e 205 de segunda.

A RTP noticia ainda que 49 empresas foram afetadas, pondo em risco 374 postos de trabalho.

Imagem divulgada pelo Governo mostra a extensão da área ardida nos incêndios de Pedrógão Grande e Góis

O relatório citado apresenta ainda mais dados. No total, arderam 45.979 hectares de floresta, em sete concelhos diferentes: Sertã, Góis, Pampilhosa da Serra, Penela, Castanheira de Pera, Figueiró dos Vinhos e Pedrógão Grande.

Relativamente aos danos na agricultura, o valor é sensivelmente aquele que o ministro da Agricultura já tinha avançado, no Parlamento: 21 milhões de euros.

Os três últimos, no distrito de Leiria, foram os mais afetados. Em Pedrógão Grande, ardeu 81% da área de floresta; em Figueiró dos Vinhos, 66%; em Castanheira de Pera, 56%.

Incêndios de Pedrógão fizeram 20 milhões de prejuízos

Em termos de custos com a resposta aos incêndios, a Autoridade Nacional de Proteção Civil gastou 4,5 milhões de euros em mobilização de meios.

Já no que toca a infraestruturas e equipamentos municipais, a RTP avança que há um dano estimado de 21 milhões de euros. Na rede viária nacional, deverão ser gastos pelo menos 2,5 milhões de euros em reparações.