Numa altura em que o mercado procura, acima de tudo, SUV e crossovers, a Hyundai decide aumentar a sua oferta no segmento C, não com um novo SUV, mas com uma (actualmente) não muito apreciada variante três volumes do conhecido i30. E que, embora militando num segmento que a própria marca sul-coreana qualifica de “aborrecido”, será capaz, segundo os seus criadores, de promover uma recuperação entre este tipo de propostas.

Visualizado como um Grand Turismo clássico pelo director de Operação da Hyundai para a Europa, Thomas Schmidt, este mesmo responsável diz acreditar que o i30 Fastback será capaz de reacender a paixão pelos três volumes quatro portas de estilo coupé, oriundos de marcas generalistas. “Somos os primeiros neste segmento, com este tipo de carro”, aponta, “além de passarmos a ser a marca com a maior oferta no segmento C”.

Por seu turno, o chefe de design europeu Thomas Buerkle reconhece a expectativa relativamente ao novo modelo. “Queremos ver como o mercado vai reagir ao i30 Fastback”, até porque, “em mercados como o Reino Unido, este tipo de look GT não deixa de ser muito popular”, declarou ao Automotive News Europe.

Já no sul da Europa, Buerkle acredita que deverá apelar mais ao público feminino, assim como a condutores solteiros e casados com filhos. Graças, entre outros aspectos, ao ar mais desportivo, acentuado por um tejadilho rebaixado em cerca de 25 mm.

Temos como objectivo vendas na ordem dos dois dígitos de milhar, mas eu acredito que poderão ser muito mais. Mesmo que roubando alguns clientes ao hatchback”, avança Thomas Schmidt.

Com produção agendada, tal como os restantes versões, para a fábrica que o construtor possui em Nosovice, na República Checa, o i30 Fastback deverá estar disponível em Portugal com a mesma gama de motores das versões já em comercialização, ou seja, 1.0 TGDi de 120 cv, 1.4 TGDi de 140 cv e 1.6 CRDi de 110 cv e 136 cv. Todos eles combinados de série com uma caixa manual de seis velocidades, embora podendo ter associada, em opção e à excepção do três cilindros de 1,0 litros, a já conhecida caixa pilotada de dupla embraiagem e sete relações 7DCT. Preços, no entanto, só lá mais a frente.