Paris

Paris acolhe museu dedicado à obra do escultor do Cristo Redentor Paul Landowski

Um museu dedicado à obra do escultor francês Paul Landowski, responsável pela estátua do Cristo Redentor, com vista para a cidade do Rio de Janeiro, foi inaugurado esta quinta-feira, em Paris.

GERNOT HENSEL/EPA

Autor
  • Agência Lusa

Um museu dedicado à obra do escultor francês Paul Landowski (1875-1961), responsável pela estátua do Cristo Redentor, com vista para a cidade do Rio de Janeiro, foi inaugurado esta quinta-feira, em Paris.

O Museu Landowski, em Boulogne-Billancourt, perto de Paris, concentra 60 esculturas, cinco pinturas e dez desenhos do artista “agregados à categoria do classicismo”, mas que, paradoxalmente, ambicionavam ser considerados modernos, sublinha Gabrielle Soullier de Roincé, a cargo da conservação das obras exibidas.

Muitas das 414 obras, incluindo esboços feitos pelos seus herdeiros em Boulogne-Billancourt, datados da década de 1980, foram oferecidos ao museu parisiense, em homenagem a Landowski, a quem foi atribuído o Prémio de Roma em 1900. O prémio trata-se de uma bolsa de estudos, financiada pelo governo francês e destinada a estudantes de artes, criada no século XVII, aquando do reinado de Luís XIV.

Depois desta distinção, o escultor foi prolífico, especialmente na execução de pequenas estatuetas, cujas vendas lhe permitiram financiar projetos de maior envergadura. Em 1906, o admirador de Michelangelo instala-se em Boulogne-Billancourt e começa a trabalhar em oficinas, onde faz experiências com materiais diversos – bronze, gesso, mármore e granito – que depressa o levam a receber encomendas internacionais.

Destas, destacam-se a obra do Cristo Redentor, conhecida mundialmente, assim como a estátua do primeiro presidente da República da China, Sun Yat-sen, flanqueado por baixos-relevos com “livros de texto chineses para ilustrar a vida” do líder revolucionário, segundo Elisabeth Caillet, neta de Landowski e curadora do museu.

E m França, o repertório do escultor inclui múltiplos trabalhos como o monumento aos mortos do Trocadéro, localizado no 16.º ‘arrondissement’ da capital, e a estátua de Sainte-Geneviéve, na ponte do Tournelle, na zona da Catedral de Notre Dame.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Futuro

As novas tecnologias e o futuro do ser humano

Maria de Sousa Pereira Coutinho

A “utopia trans-humanista” reside em se considerar o progresso como uma transformação da nossa concepção de vida e da própria “condição humana”, a fim de se obter um outro ser humano, um “homem novo".

Mundial 2018

O orgulho da Nação /premium

Paulo de Almeida Sande

Eu, português, da Nação dos lusitanos, “Estou Aqui”, sou da têmpera dos antigos Descobridores, sou do tamanho do Cristiano, o melhor do Mundo. Tenho direito a ser feliz. Façam lá o favor de ganhar.

Mundial 2018

Nem só de futebol vive a Rússia /premium

José Milhazes

No dia de abertura do Campeonato, o primeiro-ministro russo anunciou o aumento da idade da reforma de 60 para 65 para os homens e de 55 para 63 para as mulheres. E fez subir o IVA de 18 para 20%.  

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)