Pouco depois de ter sido registado um sismo de magnitude 7,1 na escala de Richter, que matou mais de 200 pessoas, começaram a surgir vídeos na internet que demonstram como várias pessoas passaram aqueles segundos de abalo. Na escola, nos transportes públicos, no trabalho, poucos escaparam aos momentos de pânico, que agora começam a surgir um pouco por todas as redes sociais.

Neste vídeo, pode ver-se como as carruagens de uma composição do metro na Cidade do México, mais propriamente na estação de Nativitas, abana sem parar enquanto a maioria dos passageiros sobem as escadas rolantes para sair do local. Apesar de tudo, e mesmo com um alarme a soar, o vídeo não demonstra momentos de pânico:

Noutras situações, o pânico ficou bem evidente. É o caso deste vídeo, que mostra como várias pessoas correm para fugir de dentro de um edifício na Cidade do México. Há também quem procure proteção nas ombreiras dos edifícios, por achar que estas oferecem maior segurança. Outras, simplesmente fogem. Enquanto isso, é audível como as janelas dos edifícios se vão partindo com o abalo.

https://twitter.com/MaximDiyorki/status/910233753116712960

Aqui, vê-se como vários estudantes fogem, também em corrida, de um edifício escolar. Não se ouve nenhuma sirene, nem qualquer outro sinal de alerta — apenas os passos apressados dos alunos e também o som de objetos e partes do edifício que vão cedendo ao sismo.

Neste vídeo, à parte um sinal de alarme subtil, não se ouve nada, apesar de nele vermos um grupo com seguramente mais de 30 pessoas. Estão todas no corredor de um edifício, naquilo que parece ser a entrada para elevadores. Enquanto esperam para que o abalo passe, os candeeiros abanam no teto.

Aqui, pode ver-se um de três vídeo de como se viveu o terramoto dentro da redação do jornal Milenio, um dos maiores do México. As televisões e luzes abanaram fortemente. No final, os jornalistas perguntam uns aos outros: “Estão todos bem?”.

Fotogaleria. As imagens do novo sismo que abalou o México