O Governo espanhol não considera válida a resposta dada pelo chefe do executivo regional da Catalunha à pergunta sobre se declarou a independência da região, disse esta manhã o ministro da Justiça espanhol, Rafael Catalá.

Citado pela agencia Efe, o ministro recordou que, além de lhe perguntar se tinha declarado independência, o presidente do Governo, Mariano Rajoy deu ao Governo da Catalunha um segundo prazo, até quinta-feira, para explicar as medidas que vai adotar para recuperar o cumprimento das suas obrigações.

O presidente do Governo regional da Catalunha, Carles Puigdemont, enviou hoje uma carta ao chefe do executivo espanhol, Mariano Rajoy, em que volta a propor diálogo, sem precisar se declarou ou não a independência da região, como Madrid pretendia.

Puigdemont já respondeu a Rajoy, mas não esclarece se declarou independência

Puigdemont dá uma margem de “dois meses” e quer fixar “o mais rapidamente possível”, uma reunião para explorar eventuais acordos.

A missiva não clarifica se na passada terça-feira declarou a independência da Catalunha, como foi exigido pelo Governo espanhol.

Madrid deu até às 10h00 desta manhã (9h00 em Lisboa) para que o executivo da região da esclarecesse uma vez por todas se na declaração ambígua que feita na semana passada foi ou não proclamada a independência da região.