Há um software malicioso, o Cutlet Maker, que permite fazer uma espécie de jackpot no multibanco, à venda na deep web (uma Internet clandestina, não acessível tão facilmente como a Internet normal) por 4.000 euros. A notícia é do Diário de Notícias. A publicação acrescenta que ainda não houve nenhum ataque com este malware, mas que a Polícia Judiciária está atenta.

Este software permite levantar dinheiro sem introduzir código, basta inserir um dispositivo USB, segundo explicou a empresa de cibersegurança Kaspersky em comunicado. “Sabemos que este malware já foi usado em ataques reais. Já fomos contactados por vários bancos a propósito desses incidentes”, adiantou ao Diário de Notícias Konstantin Zykov, investigador principal no Kaspersky Lab e porta-voz da empresa.

Em Portugal, os investigadores do crime informático da Polícia Judiciária disseram ao Diário de Notícias que têm conhecimento de vários softwares que visam manipular as máquinas de multibanco, mas que ainda não tinham tido queixas relativas ao Cutler Maker.

A SIBS, contudo, esclarece que “os equipamentos ATM da rede Multibanco funcionam em ambiente fechado e a comunicação é encriptada, pelo que o sistema de ataque descrito não é aplicável em Portugal”, informaram em comunicado enviado esta segunda-feira. Além disso, explicam, “a palavra Multibanco, que é uma marca registada e proprietária da SIBS, está incorretamente empregue no título e no artigo” que é hoje publicado no Diário de Notícias, mesmo reconhecendo que “o termo é comumente referido pela sociedade, particulares e empresas nacionais”.