O líder do PCP/Madeira, Edgar Silva, disse hoje, no Funchal, que a construção dum novo hospital na região autónoma só não será aprovada, no âmbito do Orçamento do Estado para 2018, se o PSD e o CDS não quiserem.

“O nosso grupo parlamentar já apresentou uma proposta concreta que defende um novo hospital para a Madeira. No Orçamento do Estado, só não será aprovada essa proposta se o PSD e o CDS não quiserem”, disse, explicando que a mesma passará se o Partido Socialista ficar “isolado” a votar contra.

Edgar Silva falava no decurso de um almoço-convívio, na capital madeirense, que juntou algumas dezenas de militantes comunistas.

Tal como no caso do novo hospital, cuja construção terá de ser financiada pelo Estado e pela região, o líder do PCP/Madeira considerou que outras propostas apresentadas na Assembleia da República só não serão aprovadas por falta de vontade política.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Nada justifica que se continue a resistir ao necessário aumento dos salários, particularmente à fixação do salário mínimo nacional em 600 euros em janeiro de 2018”, afirmou, sublinhando, por outro lado, que só não serão dados “novos passos” no combate à precariedade e na eliminação das “normas gravosas” do Código do Trabalho se o Partido Socialista não quiser.

“Nós já apresentámos propostas concretas, só falta vontade política para as viabilizar, só falta mesmo concretizá-las e aprová-las”, reforçou.