A cantora islandesa Björk é a primeira confirmação para a edição de 2018 do festival Paredes de Coura, onde apresentará o seu mais recente álbum, Utopia. O álbum, co-produzido com o venezuelano Arca, foi lançado a 24 de novembro. Björk atuará em Paredes de Coura no dia 18, sábado, último dos quatro dias de festival.

É o regresso da cantora a Portugal, que atuou no Coliseu dos Recreios em 1996, no Festival Hype@Meco em 2003 e no festival Sudoeste em 2008. Mais recentemente, em 2012, Björk teve de cancelar a sua atuação no Primavera Sound, no Porto, devido a uma inflamação nos nódulos das cordas vocais.

O álbum “Utopia” é, segundo a própria, um disco sobre “estar apaixonado” — ou, mais concretamente, o seu “álbum Tinder”, como explicou ao jornal Guardian: “Passar algum temo como uma pessoa de quem se gosta a todos os níveis é obviamente uma utopia. Quer dizer, é real. Mas quando o sonho se torna real… Toda a gente vai perguntar ‘és casada?’ com este álbum.” Um disco que inclui “flautas, pássaros, coros celestiais e ruído industrial” , que revela mais da cantora islandesa de quem “se espera tudo”.

O teledisco do single “The Gate”, do realizador Andrew Thomas Huang, foi considerado pela revista Pitchfork como o melhor deste ano de 2017. Para a revista, o vídeo é mais um exemplo de como Björk tem “redefinido os limites”. “The Gate” será provavelmente uma das canções que se poderão ouvir no festival Paredes de Coura, a par de êxitos de outros trabalhos como os álbuns Post, Homogenic ou Volta.