Fernando Pessoa e Mário de Sá-Carneiro são dois nomes que costumam andar juntos (não fossem os escritores grandes amigos na vida real) e que costumam ser presença constante no catálogo da editora Tinta-da-China. Em 2018, não será muito diferente: entre a lista de apostas para o ano novo, encontram-se dois títulos assinados pelos poetas portugueses, mas há muitos outros a que vale a pena estar atento.

Ricardo Vasconcelos, responsável pela coleção de Sá-Carneiro da editora, publicou no passado um livro com a poesia do autor de Indícios de Oiro e a correspondência — exaustiva — que este enviou a Fernando Pessoa. Este ano, será a vez de editar a Prosa Completa. É que, apesar de ser sobretudo conhecido pelo seu trabalho de poeta, Mário de Sá-Carneiro foi um prosador exímio. E isso é raro. Como afirmou Jerónimo Pizarro ao Observador, por altura do centenário da morte do escritor, “é muito difícil encontrar poetas que consigam ser grandes escritores de prosa”. “Sá-Carneiro consegue escrever uma poesia ímpar e uma prosa que ainda consegue ter um cartão de identidade”, afirmou o pessoano, que co-editou com Vasconcelos o volume das cartas de Mário de Sá-Carneiro a Pessoa.

E por falar em Fernando Pessoa, a Tinta-da-China espera também editar, em 2018, o Fausto pessoano. Esta edição será a primeira feita em Portugal desde a organizada por Teresa Sobral Cunha e publicada em 1988 pela Presença com prefácio de Eduardo Lourenço. Além disso, será a primeira com aparato crítico.

Novos livros de Dulce Maria Cardoso, Rui Cardoso Martins e Alberto Manguel

Mas antes de os novos livros de Pessoa e Sá-Carneiro chegarem às livrarias, a editora vai publicar A Vítima Tem Sempre Razão?, de Francisco Bosco, o primeiro de quatro ensaios que a Tinta-da-China espera lançar este ano. A este, seguir-se-ão História a História, de Fernando Rosas, e História da Violação, de Isabel Ventura, o “primeiro grande ensaio sobre um tema ainda tabu que tem vindo a marcar a atualidade internacional”, nas palavras da editora. Em março, vai chegar o novo livro do argentino Alberto Manguel, que será publicado em simultâneo em Portugal, Inglaterra e Estados Unidos da América.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Ainda na área da não-ficção, a Tinta-da-China vai lançar as crónicas de futebol de Nelson Rodrigues e a auto-biografia do comediante sul-americano Trevor Noah, Born a Crime: Stories from a South African Childhood (ainda sem título em português), editada no ano passado pela Random House.

Além dos novos romances de Dulce Maria Cardoso e Rui Cardoso Martins, vai sair Alguns Humanos, o livro de estreia do brasileiro Gustavo Pacheco, que escreveu um conto para a Granta 8, dedicada ao “Medo”. O livro chega às livrarias portuguesas em março. A coleção de Literatura de Humor coordenada por Ricardo Araújo Pereira vai continuar a crescer e em 2018 vai ganhar novos títulos: Discursos, de Mark Twain, e Obra Perfeitamente Incompleta, de José Sesinando. O britânico Patrick Leigh Fermor vai estrear-se colecção de Literatura de Viagens.