Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Revelado no Salão Automóvel de Genebra de 2017, o Alpine A110, pequeno desportivo que representa também o regresso da marca francesa ao convívio com os “grandes”, acaba de ser distinguido na edição de 2018 do “Festival Automobile International”, com o título de “Mais Belo Automóvel do Ano”.

O prémio, que resultou de uma votação online realizada junto do grande público, foi já entregue ao presidente e director-geral do Grupo Renault, Carlos Ghosn, que gere igualmente a Aliança Renault-Nissan-Mitsubishi, que no ano transacto foi o segundo aglomerado que mais veículos comercializou no mundo, tendo liderado as vendas globais, se considerarmos exclusivamente automóveis ligeiros.

Coupé de dois lugares, com motor colocado em posição central traseira, o Alpine A110 assume-se como uma proposta desportiva, ágil e leve, também graças a uma estrutura em alumínio e uma sofisticada suspensão de duplos triângulos sobropostos. Além de anunciar um prazer de condução elevado, fruto, igualmente, da inclusão de um quatro cilindros 1,8 litros turbo a gasolina de 252 cv que, tal como restante conjunto, não compromete o conforto de utilização.

“Relançar um ícone como o A110 é um desafio apaixonante”, comentou Ghosn, acrescentando que “o entusiasmo suscitado pelo novo Alpine A110 é um orgulho para todo o Grupo Renault. Este prémio recompensa as equipas e a energia que aplicaram nos últimos cinco anos, para fazerem reviver este símbolo da excelência e da elegância”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR