A Fiat Chrysler Automobiles (FCA) pode estar a ponderar o abandono de todos os motores a gasóleo, na sua oferta de veículos de passageiros, até 2022. A notícia é avançada pelo Financial Times, apontando como motivos para esta decisão a queda na procura deste tipo de motores e os custos cada vez mais elevados que o desenvolvimento destes propulsores implica.

Parte de um novo plano estratégico a quatro anos, que a FCA pensa dar a conhecer já no próximo dia 1 de Junho, a medida acabará assim com os motores a gasóleo, em todas as marcas do grupo ítalo-americano, refere a mesma publicação, citando uma fonte não identificada mas familiarizada com a estratégia da FCA.

Confrontado com esta informação, o construtor recusou-se a fazer qualquer comentário sobre o tema.

Toyota segue o mesmo caminho

Recorde-se que, por exemplo, a Toyota já anunciou que dificilmente apresentará um novo modelo, equipado com motor a gasóleo. A ajudar a justificar tal opção está o facto de mercados como a Europa, até há bem pouco um dos principais consumidores dos motores diesel, estarem a abandonar esta solução, reflexo também do escândalo das emissões protagonizado pelo Grupo Volkswagen.

Vendas na Europa crescem 7,1%. Mas não nos diesel

Só em 2017, as vendas de veículos com motores a gasóleo caíram 7,9% na Europa, reduzindo assim para 43,7% a percentagem do mercado detida pelo diesel. Um ano antes, em 2016, este tipo de propulsores valia, pelo contrário, 48%, segundo os dados da JATO Dynamics.