Astronomia

Som produzido pelas ondas gravitacionais pode conduzir à descoberta de novos buracos negros

Cientistas têm uma nova técnica para ouvir o som produzido pelo choque entre ondas gravitacionais. Este sistema pode conduzir à descoberta de buracos negros desconhecidos.

Wikimedia Commons

O espaço não é um local tão silencioso quanto possamos pensar. A cada minuto, um par de buracos negros colidem entre si, libertando as tão conhecidas ondas gravitacionais. Este choque provoca um “som inconfundível”. Investigadores australianos desenvolveram uma forma de ouvir esta espécie de zumbido.

De acordo com os cientistas da Universidade de Monash, em Melbourne, Austrália, a fusão das ondas gravitacionais produz um som inconfundível, pelo que a nova forma de o ouvir pode revelar a existência de milhares de buracos negros desconhecidos até então.

Ocorrem, por ano, mais de 100 mil eventos de ondas gravitacionais demasiado fracos para serem detetados pelos aparelhos existentes, mas que produzem um barulho de fundo que se assemelha a um zumbido. Perante esta dificuldade, a equipa de Eric Thrane desenvolveu um mecanismo computorizado mais sensível para que este zumbido possa ser ouvido.

Medir a fundo as ondas gravitacionais vai permitir-nos estudar populações de buracos negros que se encontram a longas distâncias. Um dia, a técnica vai permitir que vejamos as ondas gravitacionais do BigBang, escondidas atrás das ondas gravitacionais dos buracos negros e das estrelas de neutrões”, disse Thrane.

Estima-se que este método seja mil vezes mais sensível que os anteriores, pelo que, e segundo um co-autor do estudo as recentes melhorias vão permitir detetar “aquilo que as pessoas têm procurado ao longo de décadas”, afirma Rory Smith. Os cientistas vão então utilizar um computador chamado OzSTAR para procurar ondas gravitacionais no Observatório de Ondas Gravitacionais por Interferómetro Laser (LIGO).

Os processadores deste novo mecanismo são cem vezes mais rápidos a executar a sua tarefa. Segundo Smith, “OzSTAR tem potencial para fazer grandes descobertas na astronomia das ondas gravitacionais”.

O fenómeno das ondas gravitacionais foi previsto por Albert Einstein há mais de 100 anos e validado cientificamente em 2015. Agora será possível descobrir mais buracos negros através dos barulhos que produzem quando se fundem.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)