Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A Coreia do Norte vai suspender os testes nucleares e de mísseis balísticos intercontinentais a partir deste sábado, e vai desmantelar as instalações usadas para os testes nucleares, em Punggye-ri, no norte do país, anunciou o regime através da agência de notícias oficial, a Korean Central News Agency (KCNA).

Depois de o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, ter dito que o regime norte-coreano estaria disposto a abdicar do seu programa nuclear, sem contrapartidas, ou seja, sem a exigência histórica do regime de que os Estados Unidos teriam de retirar as tropas da região – especialmente na Coreia do Sul e no Japão -, agora foi o próprio regime norte-coreano a dizer isso mesmo.

De acordo com a agência de notícias norte-coreana, o regime liderado por Kim Jong-un vai suspender a realização de testes nucleares e de mísseis balísticos intercontinentais a partir deste sábado.

“A partir de 21 de abril, a Coreia do Norte vai suspender os testes nucleares e o lançamento de mísseis balísticos intercontinentais”, notícia a KCNA, de acordo com a agência de notícias sul-coreana. A decisão foi tomada depois de uma reunião do Partido dos Trabalhadores da Coreia.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Sob a liderança de Kim Jong-Un, a Coreia do Norte aumentou dramaticamente o número de testes nucleares e de mísseis balísticos. O país, que só tinha realizado dois testes nucleares na sua história, realizou quatro testes desde que Kim Jong-un assumiu os destinos do país, três deles nos últimos dois anos. Kim Jong-un, o terceiro líder da história da Coreia do Norte e neto do fundador e Presidente eterno Kim Il-sung, tem tido uma postura de confronto mais vincada do que o seu avô ou até que a do seu pai, Kim Jong-il.

De acordo com o regime, o objetivo do país, que era atingir o estatuto de potência nuclear, já foi alcançado, e por isso não é necessário proceder a novos testes. Kim Jong-un declarou perante o Partido que a Coreia do Norte já possui a capacidade de lançar uma bomba nuclear e que, por isso, não há necessidade de realizar novos testes e manter ativo o local onde estes são realizados.

“A nossa decisão de suspender os testes nucleares é parte dos passos importantes dados a nível mundial para o desarmamento nuclear e a nossa república vai juntar-se aos esforços globais para suspender completamente os testes nucleares”, terá dito o líder norte-coreano.

Donald Trump já reagiu, elogiando a decisão do líder norte-coreano, cerca de um mês antes da cimeira planeada entre os dois líderes.