Esta foi uma semana atípica para o andebol do FC Porto, que a meio da fase final do Campeonato de andebol decidiu rescindir com o treinador dinamarquês Lars Walther e anunciou o sucessor na próxima temporada: o sueco Magnus Andersson, que foi uma referência mundial como jogador e ganhou na última época a Taça EHF pela equipa alemã do Goppingen. Pelo meio, Carlos Martingo, que estava no comando do Avanca e será adjunto do escandinavo, faria uma espécie de transição no banco dos dragões, tendo uma estreia de fogo em casa frente ao Sporting.

Depois da derrota na Luz com o Benfica, os azuis e brancos ficaram praticamente arredados do título mas, ainda assim, era matematicamente possível. A partir desta tarde, deixou de ser: o Sporting, que vinha de uma série só com triunfos desde que perdeu com o FC Porto no Pavilhão João Rocha, em setembro, somou a 26.ª vitória seguida no Campeonato e deu um passo gigante para revalidar o título conquistado no ano passado após um longo jejum.

Benfica derrota FC Porto, isola-se no segundo lugar e afasta dragões do Campeonato de andebol

Curiosamente, e para resumir o encontro, pode dizer-se que os dragões falharam onde menos se esperava com a filosofia de jogo de Martingo: olhando para a fantástica carreira do Avanca na presente temporada (quarto lugar, à frente de ABC e Madeira SAD por exemplo), era no ataque e nas soluções ofensivas que o anterior conjunto do técnico mais brilhava, sempre assente numa defesa coesa que propiciava saídas rápidas para o ataque. No entanto, foi nesse particular que o FC Porto mais claudicou diante do Sporting, que voltou a fazer uma exibição muito personalizada no ataque mesmo sem contar com o central espanhol Carlos Ruesga (uma baixa de peso).

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Após o empate a 14 golos ao intervalo, os leões voltaram a entrar melhor no segundo tempo e conseguiram criar um fosso de três/quatro golos até aos 45 minutos (algo que já tinha acontecido na primeira parte), gerindo depois o avanço da melhor forma até ao 30-27 final. Cláudio Pedroso, com seis golos, Tiago Rocha e Frankis Carol, ambos com cinco, foram os melhores marcadores do conjunto verde e branco, que contou ainda com boas exibições dos guarda-redes Cudic e Skok. No lado dos dragões, José Carrillo foi o grande destaque com oito golos.

https://twitter.com/AndebolSCP/status/987761405356134405

“A estratégia passava por pautar o ritmo de jogo e conseguimos fazer isso sobretudo no ataque. Frankis é de facto um jogador do outro mundo, mas na segunda parte praticamente não atacou, o que mostra que podemos contar com todos os jogadores, mesmo jogando sem o Carlos Ruesga e o Ivan Nikcevic. Tenho de dar os parabéns aos meus atletas porque fizeram um grande jogo no Dragão”, destacou Hugo Canela, treinador do Sporting, na flash interview do Porto Canal após o final do encontro.

“Não há nada a apontar em termos de entrega e luta, queríamos ganhar mas estou satisfeito com o empenho. Tínhamos uma estratégia de jogo que passava por ir acelerando ritmos, ao contrário do Sporting que tinha ataques mais prolongados. Teve sucesso assim e às vezes também permitimos esse sucesso ao adversário. Vamos entrar em todos os jogos para ganhar porque esta equipa pode dar muito mais do que tem dado”, referiu Carlos Martingo, o técnico estreante dos azuis e brancos que na próxima jornada vai defrontar a ex-equipa, o Avanca.