O autoproclamado Estado Islâmico reivindicou o atentado que ocorreu na Bélgica, esta terça-feira, e matou dois polícias e um estudante, num tiroteio junto à escola secundária L’athénée Léonie de Waha no centro da cidade de Liège.

Segundo um comunicado divulgado pela agência de propaganda islamita Amaq, “o autor do ataque da cidade de Liège na Bélgica é um soldado do Estado Islâmico”, que respondeu aos apelos feitos pelos jihadistas para que sejam realizados ataques “nos países da coligação”  que têm combatido a organização terrorista.

Na manhã de terça-feira, um homem de nacionalidade belga, Benjamin H foi abordado por dois polícias que depois baleou mortalmente ao roubar uma arma de fogo a um dos agentes. A seguir fugiu e fez uma mulher refém na escola secundária, mas acabou por ser abatido pelas autoridades. Um transeunte foi apanhado no tiroteio e também foi morto.

Segundo o jornal Le Parisien, o atirador já tinha cadastro e tinha estado preso por crimes de roubo e delitos relacionados com droga. Ainda que as autoridades não tenham confirmado a informação, o atirador ter-se-á radicalizado enquanto esteve na prisão.

(em atualização)