Mundial 2018

O segredo da seleção inglesa no Mundial: chá mate da América do Sul

A seleção inglesa quer voltar a ter uma palavra a dizer quanto às grandes competições de seleções. Para isso, conta com os benefícios do chá mate: a variedade que até Messi e o Papa Francisco bebem.

A seleção inglesa está no grupo G do Mundial da Rússia, onde vai defrontar Bélgica, Tunísia e Panamá

AFP/Getty Images

Em 1640, D. João IV foi aclamado rei de Portugal depois de reconquistar a soberania perdida para a coroa espanhola em 1581. Dois anos antes, em 1638, nascia em Vila Viçosa Catarina de Bragança, a segunda filha de D. João, então ainda somente Duque de Bragança, e da sua mulher, Luísa de Gusmão. Em 1662, para reforçar a aliança entre Portugal e Inglaterra, Catarina casou o rei inglês Carlos II e tornou-se rainha de Inglaterra, Escócia e Irlanda. Com ela, levou folhas de chá: o produto era popular entre a corte portuguesa devido à rota comercial com a China, através de Macau. Habituada a beber chá diariamente, manteve a rotina em Londres e implementou uma das características que, atualmente,… descreve os britânicos.

E parece que a história teima em repetir-se. Depois de uma princesa portuguesa ter levado para Inglaterra uma das principais rotinas dos habitantes daquele país – o chá das cinco – agora foi um treinador argentino que voltou a levar folhas de chá para Terras de Sua Majestade. Mauricio Pochettino, técnico do Tottenham, habituou os seus jogadores a beber chá mate – uma variante que tem origem no Paraguai mas é muito popular na Argentina e no Brasil.

Lionel Messi já surgiu publicamente a beber esta variante de chá.

De acordo com o Telegraph, os jogadores internacionais do Tottenham transportaram o hábito para o estágio da seleção inglesa e a equipa de Gareth Southgate vai contar com a ajuda do chá mate para a concentração. “No Tottenham, vários jogadores começaram a beber. Agora estou um pouco viciado. Temos lá muitos argentinos e começámos a beber com eles. Eu e o Danny Rose levámos um pouco para seleção”, explicou Eric Dier, antigo jogador do Sporting.

Além de Dier e Rose, também Dele Alli – médio do Tottenham e uma das estrelas da seleção inglesa – se rendeu ao chá: “Adoro! Mas o Eric é que o faz para mim porque eu não sei”, contou o jogador de 22 anos ao Telegraph.

O chá mate é feito com folhas soltas, apanhadas do chão, que caem de uma planta chamada yerba mate. Tradicionalmente, as folhas são secas, cortadas e mergulhadas em água quente antes de serem filtradas. A água tem de estar quente mas não pode estar a ferver. O chá é preparado numa espécie de cabaça oca e tem de ser bebida com uma palhinha de metal, a bombilla.

O Papa Francisco, aqui com a ex-presidente argentina Cristina Kirchner, também bebe chá mate.

Jo Travers, um nutricionista britânico, explicou ao Telegraph que o chá mate tem vários benefícios incluindo propriedades “anti-oxidantes e anti-inflamatórias”, um pouco como o chá verde. “Tem mais cafeína do que uma chávena de chá normal, o que ajuda a reduzir a perceção da dor e pode ser útil no exercício físico porque dá um boost de energia e foco. Ambos são úteis se formos um jogador de futebol internacional”, detalhou Jo Travers.

Lionel Messi, Neymar, Diego Maradona e até o Papa Francisco, todos sul-americanos, são algumas das personalidades que já afirmaram publicamente que consomem chá mate regularmente.

Parece que Inglaterra está destinada a consumir chá que é levado por estrangeiros para o país.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mfernandes@observador.pt
Governo

A famiglia não se escolhe? /premium

Alberto Gonçalves

Se ainda não se restringiu o executivo aos parentes consanguíneos ou afins do dr. Costa, eventualidade que defenderia com empenho, a verdade é que se realizaram amplos progressos na área do nepotismo

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)