O ministro polaco dos Desportos, Witold Banka, anunciou esta terça-feira que vai candidatar-se à presidência da Agência Mundial Antidopagem (AMA) em 2019, à qual já é candidata a atual número dois do organismo, a norueguesa Linda Helleland.

Banka, de 33 anos, prometeu uma “estreita colaboração” com os pilares do organismo mundial de combate ao doping: os governos dos diversos países representados, as federações internacionais e o Comité Olímpico Internacional (COI).

De acordo com o princípio da rotatividade da presidência da AMA, deverá ser o candidato indicado pelo setor governamental que sucederá ao britânico Craig Reedie, atual líder do organismo, que foi escolhido pelo movimento desportivo.

“A AMA está em vias de perder a sua unidade. Pretendo construir pontes entre os governos e o movimento desportivo. Deve existir um respeito mútuo e um trabalho conjunto com o objetivo de fortalecer o organismo”, disse Banka, antigo atleta, especialista nos 400 metros.