Previsões Económicas

África subsaariana cresce 3,5% este ano e 3,7% em 2019, mas riscos persistem

A consultora Focus Economics considerou que as economias da África subsaariana deverão crescer 3,5% este ano, acelerando ligeiramente para 3,7% em 2019.

EPA

A consultora Focus Economics considerou esta quarta-feira que as economias da África subsaariana deverão crescer 3,5% este ano, acelerando ligeiramente para 3,7% em 2019, com Etiópia, Costa do Marfim, Gana e Tanzânia a liderarem o crescimento.

“As previsões para as economias da África subsaariana mantiveram-se este mês e o PIB regional deve crescer 3,5% em 2018”, lê-se no relatório desta consultora britânica, enviado aos investidores e a que a Lusa teve acesso, que alerta para os desafios que a região enfrenta.

“Apesar de os preços das matérias-primas terem recuperado nas maiores economias e permitido uma atividade económica mais robusta em 2018 face a 2017, há vários desafios que ainda subsistem nestas previsões”, dizem os analistas.

Entre os riscos apontados, os analistas sublinham “os grandes volumes de dívida, que tornam os países especialmente vulneráveis às flutuações nos mercados financeiros internacionais, e o forte abrandamento no crescimento da China, que pode manietar a atividade na região e a procura pelos recursos minerais do continente”.

Para 2019, as previsões da Focus Economics apontam para uma aceleração do PIB regional para 3,7%, alicerçada no crescimento de 8% na Etiópia e de 7% na Costa do Marfim, apesar de as três maiores economias da região (Nigéria, África do Sul e Angola) crescerem todas abaixo de 3%.

Entre os países com maior dívida externa face ao PIB, a Focus Economics destaca Moçambique, com um rácio de 89,7% este ano, e piorando para 97,6% em 2019, a África do Sul, com 48,1% e 50,2%, e o Gana, com 44,1% e 42,4% neste e no próximo ano.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Caixa Geral de Depósitos

Caixa para que te quero

Inês Domingos
104

Centeno quis a toda a força financiar a Caixa para lá do que seria aparentemente preciso, mas disse no Parlamento que não tem interesse no resultado da auditoria que revelou os desmandos socialistas. 

Liberalismo

Por uma alternativa política

Manuel Loureiro
349

Vivemos contentes com crescimentos poucochinhos, resignados a um aperto económico com que as famílias vivem? Se em 1974 ganhámos a democracia, não estará agora na hora de lutarmos pela liberdade?

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)