António Vitorino é o novo diretor-geral da Organização Internacional das Migrações depois de ter sido eleito por aclamação esta sexta-feira. O anúncio formal foi feito através do Twitter.

Na quarta volta participaram António Vitorino e a costa-riquenha Laura Thompson, a atual vice-diretora-geral da organização. A candidatura de Vitorino à liderança desta organização fundada no início da década de 1950 foi formalizada pelo Governo português em dezembro do ano passado.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros já veio felicitar o ex-comissário europeu, reconhecendo “o mérito indiscutível do candidato” e destacando “mais uma grande vitória da diplomacia portuguesa”.

António Costa felicitou “calorosamente” António Vitorino e disse que “Portugal continua a assumir as suas responsabilidades na gestão das migrações”.

A OIM foi integrada na estrutura multilateral da ONU a 25 de julho de 2016. Antes, a organização tinha recebido, em 1992, o estatuto de observador permanente na Assembleia-Geral da ONU e firmado um acordo de cooperação (1996). A par dos 169 Estados-membros, a OIM conta com oito países que detêm estatuto de observadores.

Este é o segundo cargo internacional de grande relevo que António Vitorino ocupa. Antes foi comissário europeu (1999-2004), tendo assumido a pasta da justiça e assuntos interiores numa momento muito importante, pois tratou-se de formatar essa função que tinha ganho novo relevo na política da União após o Tratado de Amesterdão.

(em atualização)