Moda

Do Coachella para as lojas: Beyoncé e Balmain lançam coleção solidária

Inspirada na camisola usada pela cantora no palco do Coachella, a colaboração Beyoncé x Balmain chega às lojas a 14 de julho. As vendes vão reverter para uma organização de apoio a estudantes negros.

Beyoncé usou esta camisola para abrir o seu concerto no Coachella. Agora, a peça deu origem a uma coleção de luxo solidária

Getty Images for Coachella

Quem vibrou com o concerto de duas horas de Beyoncé na última edição do festival Coachella, em abril deste ano, na Califórnia (ou seja, dois terços da população mundial), está agora mais perto de conseguir replicar um dos looks usados durante a cantora no espetáculo. Beyoncé juntou-se à marca de luxo francesa Balmain, responsável por outros figurinos da atual digressão da cantora, e lançou uma coleção de seis peças, desenhadas a partir do hoodie com que abriu o espetáculo. São dois hoodies iguais aos que Beyoncé usou em palco, um amarelo e outro cor-de-rosa, um terceiro preto, e três t-shirts nas mesmas cores.

A coleção, tal como os figurinos de Beyoncé, está cheia de significado. Na verdade, o concerto foi triplamente importante. Primeiro, porque é a Beyoncé. Segundo, porque a cantora já tinha sido indicada como cabeça de cartaz da edição de 2017, mas acabou, na altura, por cancelar por estar na fase final da gravidez dos gémeos Rumi e Sir Carter, tendo sido substituída por Lady Gaga. Terceiro, porque foi a primeira mulher negra a ser cabeça de cartaz do festival californiano. Como tal, pisou o palco com um visual que evoca os looks universitários, em especial as escolas e universidades historicamente ligadas à comunidade afro-americana.

A partir daí, artista e maison começaram a trabalhar na pequena coleção. “Depois de assistir a esta parceria linda, não estávamos preparados para continuar sem adicionar um toque final. Esta coleção de hoodies e t-shirts, baseada no nosso trabalho para o Coachella, é a resposta à nossa necessidade de retribuir toda a inspiração que o legado dos colégios e universidades historicamente negros da América nos deu”, afirmou Olivier Rousteing, diretor criativo da Balmain, em comunicado.

Tal como o hoodie usado por Beyoncé no Coachella, todas as peças da coleção têm a inscrição “BAK”. Alguns fãs crêem ser uma abreviatura de “back”, já que o concerto representou o regresso da cantora aos palcos, outros justificam a escolha do B e do K por serem as iniciais do seu nome: Beyoncé Knowles © Balmain

Depois do donativo feito pela própria cantora ao United Negro College Fund, uma organização filantrópica que financia bolsas de estudo para estudantes negros e em escolas e universidades historicamente ligadas à comunidade afro-americana, no valor de 100.000 dólares (91.290 euros), logo após o concerto, em abril deste ano, a coleção Beyoncé x Balmain também incorpora o mesmo princípio solidário. O valor das vendas das peças reverterá para a mesma organização.

No dia 14 de julho, a coleção chega à loja online da marca, bem como aos revendedores selecionados. Porém, no dia anterior, as peças já estarão disponíveis na flagship store da Balmain em Paris. Os preços variam entre os 290 e os 1.790 dólares (entre 265 e 1634 euros).

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mgoncalves@observador.pt
Cancro

Dia Internacional das Crianças com Cancro

João de Bragança
2.282

O mundo doloroso das crianças e jovens com cancro é isto: a falta de leis, de apoios sociais, de condições ou de políticas, o excesso de protagonismos ou de pequenas lutas próprias.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)