Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Até agora, as pessoas têm usado expressões como LOL (Laugh Out Loud), WTF (What The Fuck?), NBD (No Big Deal) ou FML (Fuck My Life) de forma livre e indiscriminada. Mas, em breve, a situação pode mudar. Não que vá ser impossível continuar a utilizar estes acrónimos anglo-saxónicos, mas talvez venham a estar brevemente associados a um produto específico. Tudo porque a gigante Procter & Gamble Co. (P&G) quer registar estas expressões como marcas.

A dona de marcas como a Pantene, a Head & Shoulders ou a Oral-B pode em breve ficar com os direitos comerciais de algumas das principais expressões normalmente utlizadas pelos millennials. A notícia foi avançada esta quinta-feira pela Bloomberg e apanhou o mundo do marketing de surpresa.

Até ao momento, não se conhece nenhum produto que a P&G queira associar a estas marcas, mas a empresa já iniciou o processo formal para transformar as quatro expressões em marcas registadas. O regulador norte-americano para o setor já veio pedir mais esclarecimentos e deu um prazo para receber a resposta: até janeiro de 2019.

O objetivo da P&G é aproximar as marcas da empresa a uma camada mais jovem de consumidores. No entanto, já há especialistas que estão a torcer o nariz à ideia. Isto porque, recentemente, um estudo divulgado pela AdWeek revelou que 78% dos jovens não gostam de ver as marcas a forçar uma linguagem mais jovem com o objetivo de se aproximar deles.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR