SpaceX

Engenheiro da SpaceX revela os planos de Elon Musk para colonizar Marte

O engenheiro Paul Wooster da SpaceX, a empresa de Elon Musk dedicada à exploração espacial, revelou numa palestra os planos de Elon Musk em colonizar o planeta vermelho.

AFP/Getty Images

Um dos principais engenheiros da SpaceX, o programa aeroespacial do grupo Tesla, partilhou esta quarta-feira alguns detalhes sobre os planos da empresa de foguetões para enviar as primeiras pessoas para Marte — e como Elon Musk, o líder da Tesla, o pretende fazer.

Durante uma apresentação na 21ª Convenção Anual da International Mars Society em Pasadena, California, Paul Wooster, falou acerca dos planos da empresa em começar a enviar missões de transporte de carga para Marte em 2022, enviado missões tripuladas no ano de 2024.

No entanto, o grande objetivo é a construção de cidades em Marte e colonizar o planeta permanentemente como uma “unidade de backup” para a humanidade, em caso de um evento catastrófico acabar com a vida no planeta Terra. Esta visão não vem, ainda assim, sem as suas dificuldades.

“Acho que muitas pessoas além da SpaceX podem contribuir”, apelou Wooster durante a palestra. “A ideia seria expandir, começar não apenas com um posto avançado, mas sim crescer para uma base maior (…) uma cidade e depois várias cidades”, afirmou o engenheiro.

O plano para chegar a Marte

Elon Musk e a sua equipa na SpaceX contam com uma ajuda de peso: o Big Falcon Rocket (BFR), um foguete de 106 metros de comprimento que produz um impulso de descolagem de 5.400 toneladas, propulsionadas por 31 motores raptor. Os primeiros dois BFR serão enviados para Marte em 2022, carregados apenas de mantimentos para missões futuras. Dois anos depois, em 2024, serão enviados outros quatros, dois deles tripulados com o propósito de começar a colonização.

Cada uma das naves espaciais de Musk transportariam cerca de 100 toneladas de mantimentos e serviriam de casa aos primeiros humanos a popular o planeta, pelo menos inicialmente, enquanto extraem recursos e trabalham para se tornarem auto-suficientes. Uma das tarefas iniciais será extrair pelo menos uma tonelada de gelo por dia que, em parte, será transformada em metano que será usado para trazer os primeiros colonos de regresso para o nosso planeta.

As seis naves serão apenas os primeiros passos para uma expansão sustentável em Marte. Segundo Woster, será prioritário desenvolver meios de produção de energia, pistas de aterragem, estufas, e uma série de infraestruturas de suporte ao funcionamento da vida no planeta vermelho. “Todos os recursos que precisas para ter uma população em crescimento à superfície”, disse Wooster.

E o que fazer no dia-a-dia, assim que esteja composta a primeira colónia humana em Marte? Os primeiros colonos de Marte teriam que aproveitar o para compreender melhor a história do planeta, a geologia e o clima de Marte. A exploração do sub-solo também será uma das prioridades nas primeiras missões, até para descobrir se existe ou alguma vez existiu vida em Marte. No fundo, Wooster sugere que se aprofundem as respostas a questões científicas.

“Este tipo de coisas são verdadeiras oportunidades para praticamente qualquer pessoa na comunidade se envolver”, disse Wooster. “A SpaceX está realmente focada em montar a arquitetura de transporte e alcançá-la o mais rápido possível. Mas é realmente para permitir todos esses tipos de atividades também. Isso deve encorajar as pessoas que podem contribuir. ”

Com cerca de quatro anos até à sua primeira missão, a SpaceX começou a reunir-se formalmente com funcionários da NASA, académicos e especialistas em outras empresas de voos espaciais para tratar dos detalhes por trás de suas missões de desembarque em Marte.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Governo

A famiglia não se escolhe? /premium

Alberto Gonçalves

Se ainda não se restringiu o executivo aos parentes consanguíneos ou afins do dr. Costa, eventualidade que defenderia com empenho, a verdade é que se realizaram amplos progressos na área do nepotismo

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)