Tiger Woods conquistou o Tour Championship, ao fim de cinco anos sem qualquer vitória, e encerra assim a época do PGA Tour, o circuito norte-americano de golfe. O golfista disse que se sentia abençoado por voltar a ganhar, depois de ter passado cinco anos sem conquistar qualquer título na competição.

“Foi inacreditável chegar a este nível novamente, não sabia que ia voltar a ser possível”, declara à CNN, no East Lake Golf Club, em Atlanta.

Numa prova para os primeiros 30 da FedEx Cup, conquistada pelo inglês Justin Rose, Woods liderou praticamente do primeiro ao 72.º buraco, acabando com duas pancadas de avanço sobre o compatriota Billy Horschel. Fechada a 80.ª vitória no PGA Tour, Tiger Woods afirmou estar incrédulo e não conteve as lágrimas. “Não sabia que ia conseguir alcançar este patamar novamente e aqui estamos com a 80.ª vitória. É um número muito bom”, disse Woods que começou o dia com um “birdie” (uma pancada abaixo do par) e esteve sempre no controlo da prova.

Nos segundos nove buracos do dia, já depois de Billy Horschel ter fechado a sua participação, Woods ainda “tremeu”, com três “bogeys” (uma pancada acima do par) nos buracos 10, 15 e 16, intervalos por um “birdie”, no 13, mas segurou o triunfo, com o par no 18, perante uma multidão em “loucura”.

O ex-líder do ranking mundial e vencedor de 14 majors fechou o dia com 71 pancadas (uma acima do par), o seu pior registo dos quatro dias, depois de 65+68+65, para um total de 269 pancadas (11 abaixo do par), contra 271 de Horschel.

O também norte-americano Dustin Johnson acabou em terceiro, com 273 pancadas (sete abaixo do par), enquanto Justin Rose ficou entre os quartos, com 274, o suficiente para conquistar a FedEx Cup, com Tiger Woods ainda a ser segundo.

Neste percurso, o jogador viu a sua carreira “tremer”: foi sujeito a várias operações às costas e esteve envolvido em algumas polémicas relativas à sua vida pessoal. “Sinto-me apenas abençoado. Apenas sortudo. Funcionou comigo. As minhas costas estiveram em muito mau estado. Não tem sido fácil, mas tenho uma ótima equipa comigo, que se tem esforçado muito para me dar mais uma oportunidade, e o seu apoio significa o mundo para mim”, afirmou à CNN.

Em 2009, vários casos de adultério vieram à superfície, tendo o golfista revelado que, durante os seis anos em que esteve casado com a sua mulher, Elin Nordegren, era viciado em sexo e teve relações com 120 mulheres.

A polémica resultou no fim do casamento com a modelo sueca, sendo que o jogador também perdeu muitos dos seus principais patrocinadores. A revista desportiva Golf Digest, a consultora Accenture, a multinacional General Motors, a companhia de telecomunicações AT&T e a marca de bebida Gatorade deixaram de o apoiar economicamente, o que afetou drasticamente a sua imagem.

Woods acabou por procurar ajuda para acabar com a sua obsessão e abandonou o desporto por uns tempos, voltando agora em força ao golfe. Com este triunfo no PGA Tour, o jogador de 42 anos está apenas a dois triunfos de Sam Snead, o jogador com mais triunfos (82) no PGA Tour, que está também ao lado de lendas como Arnold Palmer, Ben Hogan e Jack Nicklaus. A última conquista, por sua vez, foi no Bridgestone Invitational em agosto de 2013.