O barril de petróleo Brent superou hoje os 82 dólares no mercado de futuros de Londres e mantém-se em máximos desde 2014, devido ao medo dos investidores de uma queda da oferta global. O petróleo do mar do Norte, de referência na Europa, cotou-se a 82,15 dólares às 7:20 TMG, mais 0,39% do que no encerramento de terça-feira e o nível mais alto desde 11 de novembro de 2014, quando foi negociado a 82,38 dólares.

Em linha com as bolsas internacionais, o Brent mantém desde há dias uma tendência para a alta num ambiente de grande volatilidade pelo medo dos investidores das tensões no mercado. O preço do petróleo subiu devido a uma possível descida do fornecimento de petróleo quando em novembro forem aplicadas as sanções dos Estados Unidos contra o Irão, que o presidente norte-americano, Donald Trump, ameaçou na terça-feira aumentar ainda mais.

A redução da distribuição de petróleo pelos Estados Unidos, devido a problemas com infraestruturas, e a recusa da Organização de Países Exportadores de Petróleo (OPEP) e da Rússia de aumentarem as quotas de produção de forma imediata para baixar os preços também estão a sustentar a subida do preço do petróleo. Os preços do petróleo oscilaram particularmente depois de, na terça-feira, Trump ter acusado na assembleia geral da ONU a OPEP de “roubar ao resto do mundo” por pressionar os preços para a alta e assim criar um ambiente hostil.