Incêndios

Relatório europeu já alertava governo para risco de fogo no parque Sintra-Cascais

521

Especialistas europeus fizeram relatório onde destacavam os riscos de fogo no Parque Natural Sintra-Cascais e sugeriam várias medidas de prevenção. Alerta foi entregue no governo em maio deste ano.

JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

Um relatório elaborado por especialistas da Comissão Europeia já alertava em maio para o elevado risco de incêndio no Parque Natural Sintra-Cascais. Esse alerta entregue ao Governo, conforme recorda o Público, decorreu de uma visita dos peritos a Portugal e dava já conta das fragilidades daquela zona protegida — um receio que se veio a verificar no último fim-de-semana, depois de um fogo ter dizimado cerca de 600 hectares do parque.

“O índice de risco estrutural é muito alto e extremo”, refere o relatório assinado por três especialistas oriundos de Espanha que trabalharam com técnicos nacionais, nomeadamente do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF). Após a visita, os especialistas alertaram então para a vulnerabilidade da zona e para o perigo das casas isoladas, entre outros riscos.

Em caso de catástrofe, “as evacuações estão comprometidas, pois necessitam de duas condições que não existem, tempo e recursos – a que acresce outra limitação, a largura das estradas face à quantidade de veículos existentes”, destaca o mesmo estudo.

O documento foi na altura entregue ao secretário de Estado das Florestas, que chegou a reunir-se com os seus autores, bem como aos presidentes do Instituto de Conservação da Natureza, da Parques de Sintra-Monte da Lua e ainda ao responsável pela estrutura de missão dos fogos rurais, Tiago Oliveira, mas não se conhece o desenvolvimento de medidas por parte do Governo e das entidades responsáveis após o conhecimento desses alertas.

Entre as várias sugestões propostas na altura para prevenir o risco de fogo no parque natural, os especialistas propunham, por exemplo, a criação de rotas de fuga e o apoio a pessoas que necessitem de fazer queimadas. Destacava também a necessidade de vigiar a prática de rituais ou macumbas que, por implicarem o uso de velas nos cruzamentos dos caminhos florestais, se tornavam num fator de risco adiciona. Por tudo isto, reforçavam os peritos, “torna-se evidente a possibilidade de grandes incêndios florestais já em 2018”, antecipava o relatório.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Conflitos

Mediterrâneo

Luis Teixeira

Huntington defendeu, como Braudel, que a realidade de longa duração das civilizações se sobrepõe a outras realidades, incluindo os Estados-nação em que se supôs que a nova ordem mundial iria assentar.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)