Depois de quatro anos ao serviço do Mónaco, Leonardo Jardim já não é o treinador do clube francês. A oficialização da saída do técnico madeirense foi anunciada pelo próprio clube nas redes sociais, através de um comunicado com o título “obrigado, mister”. No texto, o clube deseja a Jardim “o melhor para o futuro” e afirma que o treinador se estabeleceu “como uma referência na Europa” e “a sua passagem vai permanecer como uma das páginas mais bonitas da história do clube”. Em resposta, o técnico garante que está “grato e orgulhoso por ter treinado o Mónaco por mais de quatro anos” e que vai “manter essas memórias” consigo.

O rumor começou a circular esta terça-feira nas redes sociais e o L’Équipe avançou com a garantia de que o treinador iria rescindir em breve com os monegascos, depois de ter alcançado apenas uma vitória, três empates e oito derrotas nos primeiros 12 encontros oficiais da temporada, incluindo a Supertaça de França diante do PSG (0-4 no jogo disputado na China).

Depois de passagens por Camacha, Desp. Chaves, Beira-Mar, Sp. Braga, Olympiacos (onde conquistou a dobradinha) e Sporting – onde conseguiu um segundo lugar com uma equipa limitada – Jardim chegou ao Mónaco em 2014 e conquistou um Campeonato em 2016/17, entre boas prestações na Liga dos Campeões, como as meias-finais nessa mesma temporada. No final dessa época, o português foi apontado a outros clubes como o Arsenal mas acabou por ficar e renovar.

Ao mesmo tempo, o técnico teve ainda a capacidade de transformar o Mónaco numa autêntica fábrica de fazer dinheiro com vendas, com receitas superiores a 500 milhões de euros entre o verão de 2014 e o verão de 2018. Kylian Mbappé (180 milhões de euros), James Rodríguez (75), Lemar (70), Martial (60), Mendy (57,5), Bernardo Silva (50), Fabinho (45), Bakayoko (40), Kondogbia (36) e Kurzawa (25) foram as dez maiores vendas da equipa nesse espaço temporal, segundo o Transfermarkt.

Thierry Henry, antigo avançado do Mónaco, é um dos nomes apontados à sucessão de Leonardo Jardim. O adjunto de Roberto Martínez esteve perto de reforçar o Bordéus no início da temporada mas não chegou a acordo com os responsáveis do clube. O Aston Villa terá também feito uma sondagem ao ex-jogador que passou ainda por Juventus, Arsenal, Barcelona e New York Red Bulls, mas a ESPN avança que o vínculo entre as partes poderá estar próximo, sendo a principal opção num lote onde se encontram também Robert Pires, Laurent Blanc e Marcelo Gallardo, argentino que comanda atualmente o River Plate.