Igreja Católica

Papa Francisco aceita renúncia do arcebispo de Washington, um dos líderes mais poderosos da Igreja Católica

O Papa Francisco aceitou a renúncia do arcebispo de Washington, o cardeal Donald Wuerl. O cardeal norte-americano tinha visto o seu nome envolvido em dois escândalos de pedofilia nos últimos meses.

Donald Wuerl tem 77 anos, era arcebispo de Washington e um dos cardeais mais próximos do Papa

Getty Images

O Papa Francisco aceitou a renúncia do cardeal Donald Wuerl, o arcebispo de Washington e um dos líderes mais poderosos da Igreja Católica, depois de semanas de polémica e contestação face ao papel do cardeal norte-americano em dois escândalos de abuso sexual de menores.

O arcebispo de Washington, atualmente com 77 anos, já tinha tecnicamente apresentado a sua renúncia quando completou 75 anos, assim como fazem todos os bispos e cardeais católicos. Contudo, em raras exceções, alguns elementos da Igreja Católica são autorizados a permanecer em funções até aos 80 anos. Ainda que desde há uns anos tenha mantido um papel relativamente discreto em Washington, a renúncia de Donald Wuerl surge como uma decisão simbólica e importante e representa a queda de um dos mais poderosos líderes católicos.

O cardeal Donald Wuerl, com um percurso de mais de 50 anos nos mais altos corredores da Igreja Católica, é um dos grandes aliados do Papa Francisco e está incluído no reduzido grupo do Vaticano que escolhe os novos bispos, para além de ser um dos apenas dez cardeais norte-americanos. As pressões para a renúncia do arcebispo de Washington começaram a surgir em agosto, quando um relatório de 900 páginas que detalhava crimes de abuso sexual de menores por parte de mais de 300 padres no Estado norte-americano da Pensilvânia abalou a Igreja. Consequentemente, um ex-alto funcionário do Vaticano escreveu uma carta onde acusava Wuerl de ter conhecimento dos casos, para além de omitir e esconder todos os crimes do seu antecessor, o cardeal Theodore McCarrick.

Na carta enviada em agosto, o arcebispo Carlo Maria Vigano, antigo embaixador do Vaticano nas Nações Unidas, acusava Donald Wuerl de estar “a par dos abusos contínuos cometidos pelo cardeal McCarrick e as sanções que lhe foram impostas pelo Papa Bento XVI”. A arquidiocese de Washington defendeu o cardeal ao enviar explicações detalhadas às paróquias daquele Estado e ao negar as acusações de que Donald Wuerl ignorou os casos de pedofilia dentro da Igreja Católica quando era bispo de Pittsburgh.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mfernandes@observador.pt
Pedofilia

Vade Retro, Sr. Padre! /premium

José Diogo Quintela

Os padres envolvidos nos casos de abusos sexuais são uma minoria. O pior é a cobertura que lhes dá o resto da hierarquia católica. A protecção dos abusadores vê-se nas penas do Tribunal Eclesiástico.

Pedofilia

Igreja segura, tolerância zero /premium

Laurinda Alves
186

O Papa Francisco convocou a cimeira e vão ser dias duros, de via purgativa, mas que marcarão uma nova era. Não era possível manter a impunidade nem o silêncio, é preciso saber ler os sinais de alerta.

Partidos e Movimentos

Seja bem-vinda, "Iniciativa Liberal"

Mário Pinto

Saudamos o Manifesto da Iniciativa Liberal, mesmo não partilhando muitas das suas propostas. Saudamos em especial a defesa do princípio da subsidiariedade, base para a "democratização da democracia".

Venezuela

Um objeto imóvel encontra uma força imparável

António Pinto de Mesquita

Num dos restaurantes mais trendy de Madrid ouve-se o ranger de um Ferrari que para à porta. Dele sai um rapaz novo, vestido com a última moda. Pergunta-se quem é. “É filho de um general venezuelano”.

Enfermeiros

Elogio da Enfermagem

Luís Coelho

Muitos pensam que um enfermeiro não passa de um "pseudo-médico" frustrado. Tomara que as "frustrações" fossem assim, deste modo de dar o corpo ao manifesto para que o corpo do "outro" possa prevalecer

Poupança

O capital liberta

André Abrantes Amaral

É do ataque constante ao capital que advêm as empresas descapitalizadas, as famílias endividadas e um Estado sujeito a três resgates internacionais.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)