Dicas Auto

Cuidado! Se vai atestar à bomba, não se confunda

2.955

Até ontem, a vida dos condutores era mais simples, pois só tinham de escolher gasolina ou gasóleo. Agora têm de optar entre abastecer com E5, E10 e E85, ou então do B7 e B10. E não convém enganar-se.

Na nossa visita por diversos postos de combustível, nem todos afixavam as novas designações dos combustíveis. Os que o faziam, exibiam a nova e a antiga designação

Entrou em vigor a 12 de Outubro, a norma que obriga os 3.000 postos existentes no país a afixar os novos símbolos e denominações dos combustíveis. Se durante dezenas de anos os automobilistas se preocupavam simplesmente em abastecer com gasolina – normal ou super, ou seja, com 95 ou 98 octanas – ou gasóleo, agora parece que é preciso quase um curso superior.

Em vez de Sem Chumbo 95, ou Sem Chumbo  98, os condutores que até abasteciam com gasolina vão passar a ter de escolher E5 ou E10, essencialmente uma mistura de gasolina com 5% de etanol (e daí o E), ou com 10% do mesmo tipo de álcool. Existindo ainda o E85. Nas bombas e nas “pistolas” que os condutores introduzem no bocal do depósito dos seus veículos, o E, seguido da percentagem de etanol, vai surgir dentro de um círculo. Para facilitar a transição do sistema antigo para o novo, as gasolineiras vão fazer coabitar ambas as denominações, para que se torne evidente para os automobilistas que a gasolina com um índice de octano 95 se chama agora E5, com a gasolina 98 a adoptar a nomenclatura E10.

O gasóleo não fica de fora deste baptismo de combustíveis, numa tentativa de harmonizar as denominações europeias nos 35 países que aderiram à medida. O gasóleo normal, o mais barato, vai passar a ser conhecido como B7 (que aparece inserido num quadrado), por ter 7% de biodiesel, com o B10 a ser o gasóleo mais caro, com 10% de biodiesel, ou seja, gasóleo com origem em gordura animal e sobretudo vegetal, em vez de ser derivado de petróleo. Existe ainda o símbolo XTL, que designa o diesel parafínico.

Nos combustíveis gasosos, as alterações são menos importantes, pois as denominações adoptadas são aquelas pelas quais já eram conhecidos, sendo afixados num losango. Isto envolve o gás natural comprimido (CNG), gás natural liquefeito (LNG), gás de petróleo liquefeito (LPG) e hidrogénio (H2).

A nova norma foi publicada em Setembro de 2017, mas, apesar disso, são mais os postos de combustível que não afixaram as novas denominações do que os que o fizeram. Contudo, o responsável da Apetro promete que a situação será revista durante o mês de Outubro.

Comparador de carros novos

Compare até quatro, de entre todos os carros disponíveis no mercado, lado a lado.

Comparador de carros novosExperimentar agora
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
PGR

Estão a gastar a nossa herança!

Gonçalo Pistacchini Moita
330

Muitos de nós julgam saber o que levou António Costa a propor a substituição da Procuradora Geral da República. Poucos saberão, de facto, o que levou Marcelo Rebelo de Sousa a aceitá-la. 

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)