Na sequência das notícias que, no fim de semana, deram conta de que o deputado do PSD e secretário-geral de Rui Rio, José Silvano tinha registado falsas presenças no Parlamento, Eduardo Ferro Rodrigues pediu esta segunda-feira explicações aos serviços da Assembleia da República — que confirmaram uso da password por outra pessoa que não Silvano. Perante evidências, Ferro insta direção do grupo parlamentar do PSD a tomar atitude.

Na resposta, os serviços confirmam que no dia 18 de outubro o deputado registou presença sem estar lá. Mais: dizem que a única maneira de registar presença no Parlamento é através de uma password que, apesar de ser “pessoal e intransmissível”, não está impedida de ser partilhada; acrescentam que todas as passwords foram renovadas obrigatoriamente em julho e, portanto, concluem que a única forma de José Silvano ter registado a sua presença num dia em que não esteve presente foi por via de “pessoa diferente”.

De acordo com uma nota à imprensa divulgada pelo gabinete do presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues pediu esclarecimentos à direção administrativa e financeira da AR, à divisão de gestão financeira e à divisão de apoio ao plenário esta segunda-feira. O objetivo era apurar “o fundamento de notícias que durante o fim de semana visaram o senhor deputado José Silvano, do grupo parlamentar do PSD”.

Secretário-geral do PSD registou presenças em reuniões da AR sem estar lá

É na resposta ao Presidente da Assembleia da República que os serviços da Assembleia confirmam que “no site do Parlamento, permanece assinalada a presença do senhor deputado José Silvano no dia 18 de outubro de 2018″, ou seja, não foi feita qualquer retificação da parte do próprio.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Os serviços da Assembleia notam ainda que “todos os deputados renovaram, no passado mês de julho, a respetiva password”, sublinhando que “não existem atualmente deputados com opção de password never expire“.

Embora notem que “a password de cada utilizador é um dado pessoal e intransmissível”, também esclarecem que, “tecnicamente, nenhum sistema impede a sua partilha“. É aí que concluem que a única maneira de José Silvano, neste caso, ter registado presença sem lá ter estado foi através de outra pessoa: “A password do senhor deputado José Silvano terá sido utilizada por pessoa diferente do senhor deputado, enquanto este se encontrava ausente do plenário”.

Perante estes dados, Ferro Rodrigues limita-se a dizer que informou o deputado José Silvano e a direção do seu grupo parlamentar (PSD) das conclusões dadas pelos serviços, não tirando daí nenhuma conclusão. Diz Ferro Rodrigues que informou o deputado e o seu líder parlamentar para eles tirarem “os efeitos que considerem adequados”.

Esta segunda-feira, numa primeira reação à polémica, o presidente do PSD, Rui Rio, disse que as falsas presenças do seu secretário-geral, apesar de não ser uma questão “agradável nem positiva”, era apenas uma “pequena questiúncula”, que não devia ser valorizada. Na notícia original, avançada no sábado pelo semanário Expresso, o próprio José Silvano admitia ir por vezes à Assembleia apenas “marcar o ponto”, para depois se ausentar para cumprir funções inerentes ao seu lugar de secretário-geral do PSD.

Caso Silvano. Rio diz que é “pequena questiúncula”, Negrão limpa as mãos e Ferro “aguarda” explicações