Facebook

Facebook lança guia para a cidade de Lisboa

135

O Facebook juntou 25 comunidades lisboetas da rede social para lançar um guia em papel, que também está disponível online, com sugestões para quem visita e vive em Lisboa.

Os líderes de comunidades do Facebook focadas em Lisboa, como o João Guerreiro, Helena Aguiar, André Rodrigues e Jaime Santos

Facebook

Numa época em que as fake news [notícias falsas] e os perfis falsos atormentam o futuro do Facebook, a empresa continua a apostar numa das componentes mais fortes que criou: as comunidades da plataforma. Agora, a rede social criada por Mark Zuckerberg escolheu Lisboa para lançar o segundo guia turístico — por ter sido distinguida como “European Leading City Destination” pela World Travel Awards, em 2018. As sugestões e textos do “Lisboa Tradicional, Lisboa Trendy”, lançado esta quarta-feira, foram feitos pelos grupos da rede social dedicados à capital, como “Pela Reactivação do Eléctrico 24“, o “Startup Portugal” e o “Conta-me Histórias, Lisboa“.

“Lisboa é a primeira capital a ter este tipo de guia”, contou ao Observador Lola Banos, responsável de comunicação do Facebook para a Península Ibérica (o primeiro guia deste género foi lançado em junho, em Sevilha). Para já, “o Facebook está a explorar oportunidades e falar com entidades de turismo para o disponibilizar a mais pessoas o guia”, mas qualquer pessoa já pode aceder ao PDF deste em português e inglês, pela internet.

A rede social está apostar no formato em papel, porque “muitas vezes os viajantes não têm acesso a dados móveis ou Wi-Fi”, explicou a responsável. Quanto à razão de lançar estes guias gratuitos com sugestões sobre as cidades em Espanha e Portugal, Lola Banos conta que foi por “as pessoas de Sevilha e Lisboa mostrarem que gostam bastante da cidade através das comunidades Facebook”.

Lola Banos, responsável de comunicação do Facebook para a Península Ibérica, assume que o objetivo deste guia com sugestões de grupos da plataforma é chegar a mais pessoas através de parceiros e entidades em Portugal que promovam o turismo

Na apresentação, que decorreu no Terreiro do Paço, estiveram quatro líderes de grupos do Facebook sobre a cidade de Lisboa. João Guerreiro, que criou o grupo da rede social responsável por reativar a circulação do elétrico 24, conta que foi devido à rede social que conseguiu mobilizar interesse em torno da sua causa. João, que passou pelos problemas que a rede social enfrenta, assume: “houve diversos casos em que houve perfis falsos criados para desconstruírem argumentos”. Mas este lisboeta, que contribuiu com sugestões para os turistas visitarem a cidade, diz que “o Facebook dá ferramentas [para controlar o fenómeno em grupos].

No fim, o resultado deste pequeno guia que junta as sugestões de 25 grupos sobre Lisboa da plataforma, é uma apresentação da cidade “pelos olhos das próprias comunidades”. Para já, vai continuar a estar disponível gratuitamente pela Internet e no posto de turismo de Lisboa do Terreiro do Paço, o “Lisbon Story Centre”. Até 25 de novembro, neste espaço, há uma exposição de fotografias de Manuel Gomes da Costa, que tirou as fotografias para o guia, com as histórias e sugestões dos grupos que contribuíram para o “Lisboa Tradicional, Lisboa Trendy”.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mmachado@observador.pt
Inovação

Web Summit e provincianismo

Fernando Pinto Santos

Porque é a investigação académica tão desconsiderada em Portugal? Talvez porque moldes ou toalhas não sejam tão glamorosos como uma app com um nome estrangeiro numa conferência com o nome de Summit.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)