Assembleia Da República

Tutti Frutti. Emails comprometem deputado do PSD

957

Investigadores da PJ detectaram emails de Sérgio Azevedo que demonstram que alegadamente fazia parte de um esquema de tráfico de influências que funcionava a partir de uma junta liderada pelo PSD.

MÁRIO CRUZ/LUSA

Os inspetores da Polícia Judiciária (PJ) terão encontrado emails comprometedores do deputado do PSD Sérgio Azevedo no âmbito da Operação Tutti Frutti, que investiga esquemas de corrupção em autarquias de PSD e PS. De acordo com a revista Visão — que irá desenvolver o assunto na edição de quinta-feira, 22 — Sérgio Azevedo terá dado instruções detalhadas a empresários amigos sobre como podiam assinar contratos por uma das juntas de freguesia de Lisboa liderada pelo PSD (a de Santo António, presidida por Vasco Morgado) e utilizarem esse dinheiro para serem clientes da Legal Seven, a sociedade de advogados onde trabalha o deputado do PSD. Em junho, o Observador noticiou que Sérgio Azevedo tinha sido intermediário numa das reuniões investigadas pela PJ.

Os investigadores terão encontrado, segundo a Visão, pormenores nessa troca de correspondência eletrónica que comprovam que Sérgio Azevedo montou um esquema de tráfico de influências, participação económica em negócio, faturação falsa e branqueamento de capitais com a ajuda de funcionários da junta. O mesmo pode ter acontecido em outras juntas de freguesia do concelho de Lisboa.

Sérgio Azevedo não foi ainda constituído arguido, ao contrário de Jorge Varanda, um advogado de Braga constituído arguido no final de junho, que é um dos destinatários dos comprometedores emails encontrados pelos investigadores.

Segundo o Observador noticiou em junho, Sérgio Azevedo, deputado e ex-vice-presidente da bancada parlamentar, terá intermediado uma reunião em 2016 entre Os Belenenses e Fernando Medina que está na origem de um apoio de 200 mil euros por parte da Câmara de Lisboa e que serviu para financiar uma obra que foi adjudicada pelo clube de Belém à empresa de Carlos Eduardo Reis — um dos principais suspeitos da Operação Tutti Frutti.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Crónica

Deputados da Danação /premium

Tiago Dores
298

A AR não é só doutores que fabricam currículos, é também representantes de profissões humildes, como a deputada Mercês Borges, ascensorista, como se vê pelo modo com que carrega em botões pelos outros

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)