O número dois do grupo francês Renault, Thierry Bolloré, diretor geral interino da empresa, disse que vai preservar os interesses da construtora automobilística francesa e da filial japonesa Nissan. Thierry Bolloré é o diretor geral interino do grupo, que inclui também a Alliance, depois de o presidente do conselho de administração, Carlos Ghosn, ter sido detido no Japão por fraude fiscal, entre outras acusações.

“Vou procurar garantir a estabilidade do grupo e defender a nossa posição: preservar os interesses do grupo Renault e a continuidade da Alliance (…) Podem contar com o meu total empenhamento”, disse Bolloré numa mensagem dirigida aos 180 mil trabalhadores do grupo. “Quero que saibam que o grupo está perfeitamente organizado para garantir a continuidade empresarial”, insistiu Bolloré que assume de “forma provisória” a direção executiva do grupo empresarial.

Thierry Bolloré foi designado diretor geral interino na noite de quinta-feira durante uma reunião do conselho de administração da Renault que analisou a detenção de Ghosn em Tóquio.