O Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal (CESP) lançou um pré-aviso de greve dos funcionários dos supermercados para o dia 24 de dezembro, véspera de Natal.

Em comunicado, a estrutura sindical avança que os trabalhadores das empresas de distribuição (super e hipermercados, armazéns e logísticas das empresas de distribuição, grandes armazéns e lojas especializadas) “vão estar em greve dia 24 de dezembro de 2018”, apontando o falhanço das negociações com as empresas como razão para a paralisação. A Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição continua a insistir na redução do valor pelas horas extraordinárias e na introdução de um banco de horas, diz o sindicato.

Como razões da greve estão a revisão do contrato coletivo de trabalho, sem redução do valor pago pelo trabalho suplementar, aumento dos salários e equiparação da carreira profissional dos operadores de armazém à carreira dos operadores de loja e supermercados.

Em declarações à Lusa, o diretor-geral da Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição (APED), Gonçalo Lobo Xavier, diz que as empresas que representa “compreendem as razões da convocação da greve”, mas salientou que a entidade “não considera que as negociações estejam a correr mal”.