Artes Marciais

Homem tenta assaltar lutadora brasileira de artes marciais — e acaba espancado

2.200

A lutadora Polyana Viana espancou um assaltante que lhe tentou roubar o telemóvel, deixando-o com a cara em sangue. A fotografia do homem foi partilhada pelo presidente do UFC.

Polyana Viana num combate de MMA a 4 de agosto

Getty Images

Polyana Viana, uma lutadora brasileira do Ultimate Fighting Championship (UFC) — uma das mais importantes organizações de artes marciais mistas (MMA) — espancou um assaltante que lhe queria roubar o telemóvel, enquanto esperava por um Uber na zona oeste do Rio de Janeiro. A atleta de 26 anos estava à porta de casa quando um homem se aproximou dela e lhe perguntou as horas. Ela respondeu, mas como o assaltante não se afastou e fez um movimento suspeito, Polyana Viana decidiu bater-lhe para se defender, com o jornal Estadão.

A fotografia do assaltante, depois do episódio, com o rosto inchado e ensanguentado, foi partilhada pelo presidente da UFC no Instagram. Na descrição das imagens, Dana White — que também já foi pugilista — escreveu: “À esquerda está Polyana Viana, uma das nossas lutadoras no UFC, e à direita está o gajo que a quis assaltar”. No fim da legenda, Dana White juntou uma etiqueta que dizia “bad fucking idea” ou, em português, “má ideia de m…”.

De acordo com as declarações feitas por Polyana Viana ao MMAjunkie, um jornal online especializado em artes marciais, a atleta brasileira decidiu atacar o assaltante quando ele pôs a mão sobre o parecia ser uma arma: “Estava bem perto de mim. Foi quando pensei: se é uma arma, ele não terá tempo de sacá-la. E dei dois socos e um pontapé. Ele caiu e eu detive-o com um mata-leão”. O mata-leão é um golpe de estrangulamento usado nas artes marciais japonesas que, se feito durante algum tempo, pode levar à perda de consciência ou à morte por asfixia.

Polyana Viana disse ter permanecido calma durante todo o episódio: “Como ele levou os socos muito rapidamente, acho que estava com medo”, recorda ela ao MMAjunkie. No final de contas, a arma onde Polyana Viana achava que o assaltante tinha posto a mão era feita de cartão. Mais letal do que a arma de papel do assaltante era mesmo o currículo da lutadora brasileira, que contabiliza 10 vitórias e duas derrotas no MMA.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mlferreira@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)