Rádio Observador

Motos

Harley-Davidson eléctrica já mexe. Chega a partir de Setembro

O CES 2019, em Las Vegas, foi o palco escolhido para a apresentação da LiveWire, a primeira moto eléctrica da Harley-Davidson. A marca revelou ainda mais dois novos modelos, igualmente a bateria.

Há cerca de quatro anos que a Harley-Davidson trabalha afincadamente na sua primeira moto eléctrica, solução com que o fabricante de Milwaukee conta para estancar a contínua quebra das vendas. Mas a adopção do silencioso motor eléctrico, em vez do mítico V2 a gasolina, com pouca potência mas muita cilindrada e força, caracterizado por uma sonoridade ímpar, está longe de ser uma aposta ganha à partida.

Apesar de revelar a versão definitiva da LiveWire, a Harley-Davidson confessou que ainda há uns pormenores a acertar, a começar pelas baterias que vai utilizar, bem como a potência do motor, que optou por anunciar mais tarde. Comprometeu-se, isso sim, com os valores que pretende garantir à data de lançamento, que passam por assegurar 110 milhas de autonomia, cerca de 177 km, bem como a capacidade de ir de 0-97 km/h (0-60 milhas) em 3,5 segundos. Comparando estes valores com outras motos eléctricas já disponíveis no mercado, é possível determinar que a LiveWire não deverá andar longe dos 14 kWh de capacidade de bateria, para um motor que rondará os 70 cv.

A LiveWire, com um estilo muito diferente do que a Harley nos tem vindo a habituar, mais próximo de uma “café racer”, vem equipada de série com suspensões Showa, travões Brembo e sistemas de ABS e controlo de tracção, o que significa que o fabricante está a apontar para uma eficiência superior em termos de comportamento, visando os clientes que se queiram a entregar a uma condução mais desportiva, bem ao contrário do que é normal nos modelos da marca a gasolina. Contudo, este tipo de abordagem irá reduzir drasticamente a já de si acanhada autonomia.

Em Las Vegas soubemos ainda que a Harley-Davidson já abriu o período de encomendas, com um preço de 29.799 dólares, sem impostos. O site da marca em Portugal, não só informa que as encomendas começam em Fevereiro, como prevê um preço de 34.500€, com as entregas a arrancarem a partir de Setembro.

Além da LiveWire, a Harley-Davidson mostrou ainda quatro novos protótipos de motos e bicicletas eléctricas, como que a provar que a mudança da gasolina para a bateria é uma realidade que vai alastrar rapidamente a toda a gama. Destaque para a moto de cross denominada HD Electric Concept 1, e para a scooter sem protecções aerodinâmicas, a HD Electric Concept 2. Ambas vão ser complementadas por uma moto muito ligeira e ágil com características para todo-o-terreno (a fazer lembrar uma mountain bike, mas sem pedais), e por uma bicicleta convencional com assistência eléctrica. Curiosamente, tanto a scooter como a mountain bike parecem prever a possibilidade de retirar facilmente a bateria, para que se possa levar para casa e, aí, recarregá-la.

Recomendador: descubra o seu carro ideal

Não percebe nada de carros, ou quer alargar os horizontes? Com uma mão-cheia de perguntas simples, ajudamo-lo a encontrar o seu carro novo ideal.

Recomendador: descubra o seu carro idealExperimentar agora

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: alavrador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)