Angola

Angola. Quase 3.400 cidadãos estrangeiros expulsos na última semana

1.420

Segundo o Serviço de Migração e Estrangeiros foram impedidos de entrar no país por "falta de documento de viagem". As autoridades já expulsaram 14.956 cidadãos estrangeiros desde o início deste ano.

O Serviço de Migração e Estrangeiros de Angola aplicou 30 multas a cidadãos de diversas nacionalidades

RICARDO BERNARDO/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

Pelo menos 3.381 cidadãos estrangeiros foram expulsos de Angola, na última semana, por “decisão judicial e administrativa”, período em que foram detidas 460 pessoas “permanência e auxílio à imigração ilegal”, anunciou esta segunda-feira o Serviço de Migração e Estrangeiros (SME).

Segundo o relatório semanal de ocorrências do SME, referente ao período de 30 de janeiro a 6 de fevereiro, enviado esta segunda-feira à Lusa, foram igualmente impedidos de entrar no país e “consequentemente reembarcados” 17 cidadãos de diversas nacionalidades, a maioria por “falta de documento de viagem”.

Desde o dia 1 de janeiro deste ano, segundo as contas da agência Lusa com base nos relatórios semanais do SME, as autoridades angolanas já expulsaram 14.956 cidadãos estrangeiros (7.759 em janeiro e 6.197 em fevereiro).

O número de expulsões em janeiro nunca ultrapassou os 2.500 por semana, mas, já este mês, os totais semanais aumentaram para 2.816 nos primeiros sete dias, subindo agora para os 3.381 cidadãos estrangeiros obrigados a abandonar o país.

Esta segunda-feira, no relatório semanal, as autoridades angolanas dão conta também que foram impedidos de sair de Angola 35 cidadãos nacionais, 28 deles por falta de meios de subsistência, dois por falta de autorização de saída dos progenitores e os restantes por razões diversas.

Quanto ao movimento migratório, o SME registou a entrada de 27.158 cidadãos de diversas nacionalidades, dos quais 19.996 nacionais e os restantes estrangeiros, e a saída de 28.869 pessoas, incluindo 15.455 nacionais.

O Serviço de Migração e Estrangeiros de Angola aplicou ainda 30 multas a cidadãos de diversas nacionalidades.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)