Grandes blocos de gelo invadiram as cidades costeiras junto aos Grandes Lagos da América do Norte, entre os Estados Unidos e o Canadá, provocando quebras de energia e problemas no tráfego aéreo. A culpa destes tsunamis gelados foi das rajadas de vento na ordem dos 100 quilómetros por hora que levantaram o gelo depositado na superfície dos lagos e o arrastaram para dentro das cidades. Não é a primeira vez que o fenómeno destes acontece na zona este norte-americana. Mas desta vez chegou mais cedo e com mais força do que no passado.

Os tsunamis de gelo acontecem quando ventos muito fortes incidem diretamente em costas ligeiramente inclinadas e levantam o gelo que compõe a superfície do lago. Normalmente, quanto menos inclinada for a costa, mais o gelo é empurrado para dentro da cidade. Foi isso o que aconteceu em cidades como Hamburg em Nova Iorque (EUA) ou em Fort Erie (Canadá). Mas desta vez de forma mais peculiar: tempestades destas são mais comuns no início da primavera, quando gelo começa a derreter. Além disso “nunca houve gelo a chocar contra as nossas paredes e a entrar pelos pátios dentro”, garantiu um residente à WGRZ.

Isso aconteceu por causa da combinação de dois fatores. Além dos ventos fortes que se registaram nos Grandes Lagos, houve uma grande mudança de temperaturas que fez com que o gelo expandisse e depois voltasse a contrair. Isso fez com que este gelo se movesse pela costa dentro e formasse autênticas paredes que invadiram as cidades como uma grande onda. Essas paredes geladas podem chegar a ter mais de 90 centímetros de largura e 1,50 metros de espessura.

Algo sem aconteceu em 1822, quando um naturalista norte-americano não identificado disse ter visto “rochas, ao nível do chão, a adotar uma marcha gradual ao longo do leito de um lago e superando todos os obstáculos, escapando ao domínio de Neptuno”, conta a National Geographic. A partir daí, vários cientistas registaram fenómenos semelhantes noutras latitudes do hemisfério norte. E em 2001 aconteceu outra vez, quando um “tsunami” de gelo com quase cinco metros de altura foi registado a sair do Mar de Tchuktchi e a entrar no Alasca.

There is a voluntary evacuation of Hoover Beach at this time. Residents in Hoover Beach can expect the Woodlawn FD to…

Posted by Town of Hamburg Emergency Services on Sunday, February 24, 2019

Várias imagens deste “tsunami” de gelo publicadas das redes sociais mostram barreiras compostas por blocos de gelo a ladear as estradas ao longo do rio Niágara, em Fort Erie. Um homem garantiu que este fenómeno foi “uma das coisas mais loucas” que alguma vez testemunhou e que o gelo está a derrubar árvores e candeeiros urbanos. A National Weather Service em Buffalo até deixou um aviso: “Esta é uma situação particularmente perigosa! Se tem de viajar, prepare-se para danos extensos e linhas de energia caídas”. Além disso, o Serviço de Emergência da Cidade de Hamburg também aproveitou o Facebook a informar que “está a decorrer uma evacuação voluntária de Hoover Beach neste momento”.