Óbito

Fernando Midões morreu aos 86 anos. “Grande jornalista e homem da televisão”, recorda Júlio Isidro

O ex-jornalista da RTP e crítico de teatro faleceu este domingo. "Culto e rigoroso, conhecedor profundo do teatro nacional e mundial. Quem será o próximo?", lamentou-se Júlio Isidro.

CLEMENS BILAN/EPA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

O ex-jornalista da RTP e crítico de teatro Fernando Midões faleceu no domingo de manhã na Casa do Artista, onde residia, disse à agência Lusa fonte desta associação de apoio aos artistas. Com 86 anos, Fernando Midões, natural de Lisboa, licenciou-se em ciências pedagógicas pela Faculdade de Letras de Lisboa e em direito pela Faculdade de Direito de Coimbra.

Fernando Midões iniciou a sua carreira como crítico de teatro no jornal “A Planície”, sendo que mais tarde veio a colaborar com o Diário Popular e o Diário de Notícias. Pertenceu aos quadros da RTP.

Quando se deu o 25 de abril, Fernando Midões já trabalhava na RTP e, depois da Revolução dos Cravos que pôs termo à ditadura, começou a aparecer em frente às câmaras, a dar as notícias aos portugueses.

O histórico apresentador da RTP Júlio Isidro  já reagiu ao falecimento. Na sua conta de Facebook, escreveu um longo texto em jeito de homenagem, em que se lê: “Mais um fim. Menos um nome do princípio da televisão em Portugal. Recordo-lhe a voz rouca de cigarros e cigarros que lhe marcavam os dedos de castanho. Revejo-o tantas vezes em bastidores de teatro a entrevistar artistas ( no caso o Ruy de Carvalho) que recordo no meu Inesquecível. Não esqueço o seu papel de jornalista a escrever notícias e a coordenar a exaltação do dia da liberdade ao qual ficou para sempre ligado”.

O Fernando Midões realizou também alguns dos meus grandes ( pelo menos em duração) programas, o Festa é Festa e Festa Continua, num ambiente de camaradagem feito de admiração e respeito. O que este senhor sabia de teatro vai com ele para o infinito”, acrescenta Júlio Isidro.

O presidente do júri das semifinais do Festival da Canção escreveu ainda: Nunca me ouvirão dizer que ‘no meu tempo é que era bom’ mas posso garantir que os cabelos brancos dos ainda sobreviventes, não são um ónus para que se apregoe de forma cruelmente ignorante que a velharia tem que ser passada a patacos porque é um peso para as novas ideias. O Fernando Midões foi um grande jornalista, culto e rigoroso, um conhecedor profundo do teatro nacional e mundial, um realizador seguro e educado, um grande homem de televisão. (…) Quem será o próximo?”.

TERRA QUEIMADAMais um fim. Menos um nome do princípio da televisão em Portugal.O jornalista, crítico teatral e…

Posted by Julio Isidro on Sunday, March 10, 2019

Marcelo envia sentimentos “à família e amigos”

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, lamentou o falecimento de Fernando Midões, apresentando os seus sentimentos à família e aos amigos do ex-jornalista da RTP e crítico de teatro.

“O Presidente da República apresenta os seus sentimentos à família e aos amigos de Fernando Midões, que hoje nos deixou, depois de uma longa vida de jornalista dedicado e crítico de teatro, e que foi presença nas nossas casas através da RTP”, lê-se numa nota publicada no site da Presidência.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)