Depois de superar a barreira das 790.000 unidades vendidas em todo o mundo, em 2018, a carreira comercial do Tiguan recebe um novo estímulo em Portugal, com a introdução da versão de 130 cv do 1.5 TSI, comercializada entre nós por 32.063€. O que significa que, para o mesmo nível de equipamento (Confortline), o SUV mais global da Volkswagen vê o seu preço baixar 3.418€ face ao 1.5 TSI de 150 cv (35.481€).

Baixa o preço e baixam também os consumos e as emissões de CO2, apurados segundo a norma WLTP, pois o 130 cv equipado com caixa manual de seis velocidades reclama 6,7 l/100 km e 152 g/km, enquanto a versão de 150 cv do 1.5 TSI anuncia, respectivamente, 7,1 l/100 km e 162 g/km.

O bloco a gasolina que passa a constituir a versão de entrada na gama do Tiguan é um quatro cilindros turbo com injecção directa e 1.498 cm3 de cilindrada, que está equipado com um sistema de gestão activa dos cilindros. Em termos práticos, dois dos quatro cilindros desligam-se automaticamente, sem que o condutor se aperceba disso, sempre que o software determina – em função da velocidade e regime de rotações – que as solicitações da condução se prestam à poupança de combustível.

Embora mais acessível, o Tiguan 1.5 TSI de 130 cv conta com bastante equipamento de série, nele se incluindo sistema de navegação, Park Assist com câmara traseira, cruise control adaptativo, jantes de liga leve de 17 polegadas e rádio “Discover Media” com ecrã táctil a cores de 8 polegadas. Referência ainda para a segurança, com o SUV alemão a dispor de sistema de detecção de fadiga, Front Assist e Lane Assist, entre outros.