Macau

Macau promete concurso para concessionárias do jogo em 2022

O chefe do Executivo de Macau quer reunir condições para o concurso público para não prolongar mais os prazos de concessão da Sociedade de Jogos de Macau.

Em 2018, Macau registou cerca de 33 mil milhões de euros em receitas de jogo

JEROME FAVRE/EPA

Autor
  • Agência Lusa

O chefe do Executivo de Macau, Chui Sai On, afirmou esta quinta-feira que não quer prolongar mais o prazo dos contratos de concessão do jogo no território e prometeu um concurso público em 2022.

Em meados de março, o Governo de Macau prolongou até 2022 o prazo dos contratos de concessão da Sociedade de Jogos de Macau (SJM), fundada pelo magnata Stanley Ho, e de subconcessão da operadora MGM, igualando assim o prazo final dos contratos das outras duas concessionárias e subconcessionárias.

Na reunião plenária da Assembleia Legislativa, Fernando Chui Sai On garantiu que “não vai haver mais prorrogações”, apesar de a lei prever a possibilidade de, por despacho do executivo, as concessões serem prolongadas cinco vezes por um período de dois anos.

Ao contrário das restantes operadoras, Wynn Resorts e Galaxy, com licença até 2022, os contratos de concessão de jogo da SJM, que opera 22 casinos em Macau, e de subconcessão da MGM, com dois casinos no território, terminavam em 31 de março de 2020.

Agora é tempo de “reunir as condições para o concurso público” e de acrescentar e endurecer os requisitos relativos “ao direito e ao trabalho e ao emprego”, disse o chefe do Executivo, naquela que foi a penúltima vez que se deslocou a uma reunião plenária, já que o seu mandato termina este ano.

Entre março e junho de 2002 foram celebrados contratos entre o Governo de Macau, a SJM, a Galaxy Casino e a Wynn Resorts Macau para a atribuição de três concessões.

Em dezembro daquele ano foi feita uma alteração ao contrato de concessão do Galaxy Casino, na qual foi permitida à Venetian Macau explorar jogos de fortuna ou azar no território, mediante subconcessão. A SJM e a Wynn vieram também a assinar contratos de subconcessão com a MGM e a Melco Resorts, respetivamente. A Venetian pertence à Sands China, que é uma sucursal da norte-americana Las Vegas Sands. A Wynn e a MGM são também grupos empresariais com maioria de capital norte-americano.

No ano passado, Macau, capital mundial do jogo e único local na China onde os casinos são legais, registou cerca de 33 mil milhões de euros em receitas do jogo, o que representa um aumento de 14% em relação ano de 2017, de acordo com dados oficiais. Habitualmente, o chefe do Executivo da Região Administrativa Especial de Macau (RAEM) está presente três vezes por ano na AL. A primeira ocorre em novembro para apresentação das Linhas de Ação Governativa (LAG) para o ano seguinte e para responder aos deputados sobre as políticas divulgadas na véspera.

A segunda presença na AL acontece entre março e abril, e a terceira decorre entre julho e agosto, antes do período de férias dos parlamentares.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)