Modelos

Modelo brasileiro morre subitamente em desfile da semana de moda de São Paulo. Evento não foi interrompido

564

Um modelo brasileiro de 26 anos morreu subitamente no sábado durante um desfile da semana de moda de São Paulo, anunciaram os organizadores. Mas o desfile continuou e não foi interrompido.

SEBASTIAO MOREIRA/EPA

Um modelo brasileiro de 26 anos morreu subitamente no sábado durante um desfile da semana de moda de São Paulo, anunciaram os organizadores. Ainda assim, o evento prosseguiu e no final fez-se um minuto de silêncio. Esta decisão está a ser criticada nas redes sociais.

“O SPFW [São Paulo Fashion Week] acaba de receber a notícia do falecimento do modelo Tales Soares, que teve um mal súbito durante o desfile da Ocksa”, uma marca brasileira, anunciaram os organizadores num comunicado, sem detalhar as causas do óbito. “Ele foi prontamente atendido pela equipa de socorristas do evento e em seguida levado ao hospital, mas infelizmente não resistiu”, acrescentou o SPFW no comunicado, apresentando as condolências à família.

O jovem, cujo nome artístico era Tales Cotta, desmaiou quando se virou para sair da ‘passerelle’, perante dezenas de espectadores estupefatos, segundo informações da imprensa local. A Ocksa revelou na sua conta no Instagram estar “consternada” com a notícia da morte.

Testemuhas dizem que os participantes do evento, por pensarem que se tratava de uma performance do desfile, demoraram a reagir, mas que a equipa de socorristas não terá demorado mais de três minutos a prestar assistência. Na sequência, a transmissão dos desfiles foi cortada, mas depois tudo prosseguiu.

As marcas que desfilaram após ser conhecido o falecimento do modelo fizeram um minuto de silêncio antes de desfilarem. A São Paulo Fashion Week, o evento de moda mais importante da América Latina, teve início a 22 de abril e terminou no sábado. O facto de o evento não ter sido interrompido depois da morte de um dos modelos está a gerar consternação nas redes sociais, acusando mesmo o mundo da moda de ser um “mundo cruel”.

Segundo o agente do modelo à Globo,o modelo preparava-se para se estrear em junho em Milão e tinha já dois desfiles agendados. Rogério Campaneli disse mesmo que esta semana ele iria fazer um anúncio para a Shell, mas como era vegetariano estavam a tentar encontrar um hamburguer que pudesse consumir naquela publicidade.

O gerente garantiu que o modelo não consumia drogas e que, já no hospital, o informaram que ele morreu ainda na passadeira, onde ainda foi socorrido por uma equipa de primeiros socorros, depois de ter tombado perante o olhar de todos, Depois de retirado do local, o evento prosseguiu.

Os médicos suspeitam que Tales pudesse ter algum problema congénito. Pelos vídeos, eles acreditam que ele morreu na passarela. Foi tudo tão rápido: ele deu um beijo no amigo que estava mais atrás na fila, nos bastidores, andou e caiu…”, disse o agente.

A revista Veja já fez um perfil do rapaz de 26 anos. Era a segunda vez que Tales Cotta participava de sua segunda São Paulo Fashion Week (SPFW). Nascido em Minas Gerais, começou a trabalhar com a Base MGT, agência de modelos e atores de São Paulo, em setembro de 2018. No site da agência, ele é descrito como um modelo de “olhos verdes e cabelo platinado”.

Neste sábado, Cotta fazia seu segunda desfile na edição atual da SPFW. Na sexta-feira 26, o modelo desfilou para a grife Ratier. O mineiro também trabalhou para o estilista Felipe Fanaia e para as marcas Age e C&A.

Numa publicação de 26 de outubro de 2018, Cotta escreveu sobre a emoção de ter participado de sua primeira SPFW, na edição anterior à atual. Para o jovem, era um “sonho” realizado. “Hoje foi superação. É olhar pra trás a cada dia e dizer: ‘Não desista’”, escreveu. “Amigxs que acompanham e torcem por mim: esse sonho é nosso e foi concluído com sucesso. Seguimos.” Antes de tombar no desfile, onde terá sofrido de morte súbita, o modelo pôs uma imagem sua no Instagram.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)