Um modelo brasileiro de 26 anos morreu subitamente no sábado durante um desfile da semana de moda de São Paulo, anunciaram os organizadores. Ainda assim, o evento prosseguiu e no final fez-se um minuto de silêncio. Esta decisão está a ser criticada nas redes sociais.

“O SPFW [São Paulo Fashion Week] acaba de receber a notícia do falecimento do modelo Tales Soares, que teve um mal súbito durante o desfile da Ocksa”, uma marca brasileira, anunciaram os organizadores num comunicado, sem detalhar as causas do óbito. “Ele foi prontamente atendido pela equipa de socorristas do evento e em seguida levado ao hospital, mas infelizmente não resistiu”, acrescentou o SPFW no comunicado, apresentando as condolências à família.

O jovem, cujo nome artístico era Tales Cotta, desmaiou quando se virou para sair da ‘passerelle’, perante dezenas de espectadores estupefatos, segundo informações da imprensa local. A Ocksa revelou na sua conta no Instagram estar “consternada” com a notícia da morte.

Testemuhas dizem que os participantes do evento, por pensarem que se tratava de uma performance do desfile, demoraram a reagir, mas que a equipa de socorristas não terá demorado mais de três minutos a prestar assistência. Na sequência, a transmissão dos desfiles foi cortada, mas depois tudo prosseguiu.

As marcas que desfilaram após ser conhecido o falecimento do modelo fizeram um minuto de silêncio antes de desfilarem. A São Paulo Fashion Week, o evento de moda mais importante da América Latina, teve início a 22 de abril e terminou no sábado. O facto de o evento não ter sido interrompido depois da morte de um dos modelos está a gerar consternação nas redes sociais, acusando mesmo o mundo da moda de ser um “mundo cruel”.

Segundo o agente do modelo à Globo,o modelo preparava-se para se estrear em junho em Milão e tinha já dois desfiles agendados. Rogério Campaneli disse mesmo que esta semana ele iria fazer um anúncio para a Shell, mas como era vegetariano estavam a tentar encontrar um hamburguer que pudesse consumir naquela publicidade.

O gerente garantiu que o modelo não consumia drogas e que, já no hospital, o informaram que ele morreu ainda na passadeira, onde ainda foi socorrido por uma equipa de primeiros socorros, depois de ter tombado perante o olhar de todos, Depois de retirado do local, o evento prosseguiu.

“Os médicos suspeitam que Tales pudesse ter algum problema congénito. Pelos vídeos, eles acreditam que ele morreu na passarela. Foi tudo tão rápido: ele deu um beijo no amigo que estava mais atrás na fila, nos bastidores, andou e caiu…”, disse o agente.

A revista Veja já fez um perfil do rapaz de 26 anos. Era a segunda vez que Tales Cotta participava de sua segunda São Paulo Fashion Week (SPFW). Nascido em Minas Gerais, começou a trabalhar com a Base MGT, agência de modelos e atores de São Paulo, em setembro de 2018. No site da agência, ele é descrito como um modelo de “olhos verdes e cabelo platinado”.

Neste sábado, Cotta fazia seu segunda desfile na edição atual da SPFW. Na sexta-feira 26, o modelo desfilou para a grife Ratier. O mineiro também trabalhou para o estilista Felipe Fanaia e para as marcas Age e C&A.

Numa publicação de 26 de outubro de 2018, Cotta escreveu sobre a emoção de ter participado de sua primeira SPFW, na edição anterior à atual. Para o jovem, era um “sonho” realizado. “Hoje foi superação. É olhar pra trás a cada dia e dizer: ‘Não desista’”, escreveu. “Amigxs que acompanham e torcem por mim: esse sonho é nosso e foi concluído com sucesso. Seguimos.” Antes de tombar no desfile, onde terá sofrido de morte súbita, o modelo pôs uma imagem sua no Instagram.