É o tipo de ficha, o tempo de recarga, a autonomia, a regeneração e a melhor forma de gerir a energia. Tudo isto são situações com que um recém-chegado ao mundo dos veículos eléctricos tem de aprender a lidar. Para que os clientes possam fazer uma escolha consciente, um test drive a um veículo eléctrico exige um pouco mais de tempo do que uma simples volta ao quarteirão.

Consciente desta realidade, a Volkswagen decidiu criar em Inglaterra um período de ensaios de 48 horas, em que é colocado um e-Golf à disposição do potencial cliente durante dois dias, tempo suficiente para que possa lidar com as diferenças dos eléctricos a bateria e decidir se é o tipo de motorização que lhe convém. Esta abordagem não só ajuda a vender o e-Golf, com prepara o mercado para o ID.3 que será revelado em Setembro e chegará aos concessionários entre o final do ano e o início de 2020.

Para a SIVA, o importador da marca para o nosso país, esta solução, se bem que tenha mérito, “não faz sentido ser aplicada, pois exigia a disponibilidade de um conjunto de veículos específicos para estes ensaios, unidades essas que não existem, pois todos os e-Golf que chegam da fábrica estão vendidos, uma vez que há muita procura pelo modelo”.

A explicação para esta dualidade de critérios deverá ter a ver com o mau momento do mercado britânico, com as vendas a caírem mensalmente de forma bastante evidente devido ao Brexit, o que deverá dificultar o escoar as versões do e-Golf com volante à direita.