Tiago Brandão Rodrigues deu recentemente uma entrevista, em Lisboa, a um programa de televisão espanhol sobre o sucesso do programa educacional português que, nas últimas 30 décadas, conseguiu reduzir drasticamente a percentagem de analfabetismo no país. Classificando a Educação em Portugal como uma “referência” a nível europeu, o “El Intermedio” perguntou ao ministro português sobre o “milagre educacional português” as apostas deste Governo para a área. A entrevista tornou-se muito popular nas redes sociais em Espanha, com muitos espanhóis a elogiarem Brandão Rodrigues.

Na entrevista, disponibilizada esta segunda-feira, o ministro começou por dizer que, entre 2011 e 2015, o investimento na Educação em Portugal baixou mais de mil milhões de euros e que foi necessário mudar isso. “Foi necessário aumentá-lo e ter um discurso muito claro de que temos uma aposta muito forte na política para a Educação, que se baseia numa escola pública de qualidade”, afirmou Brandão Rodrigues.

Essa aposta reflete-se num investimento de 5,5% do PIB na Educação, um valor que, como lembrou o jornalista do “El Intermedio”, é superior ao de Espanha e ao da média europeia. “É necessário dinheiro e há que injetar dinheiro, até um determinado ponto”, disse o ministro, classificando a percentagem de investimento como “boa” e frisando que esta “resulta da recuperação e do investimento” que o Governo fez “na Educação nos últimos anos”.

“Não nos podemos esquecer como Portugal era”, disse ainda Brandão Rodrigues, lembrando que, antes do 25 de Abril, 45% dos portugueses “não sabia ler nem escrever, não sabia o que era um número e não conseguia marcar um número no telefone”.

Sobre os cortes nos colégios privados com contratos de associação, Brandão Rodrigues afirmou que, nesse aspeto, “a lei é muito clara. Os colégios com contratos de associação só devem existir onde não há escola pública. Limitamo-nos a cumprir a lei. Acreditamos que a escolha pública deve estar entre as prioridades do Estado e, como funcionários públicos, devemos oferecer educação a todos os estudantes”, afirmou.

No Twitter, surgiram muitos comentários positivos à entrevista de Tiago Brandão Rodrigues. “Impressionante a entrevista do ministro da Educação português”, escreveu uma utilizadora, admitindo que gostava de ter um governante assim em Espanha. Um utilizador chamou a Brandão Rodrigues um “ministro com maiúscula”, enquanto outra utilizadora disse gostar cada vez mais dos de Portugal.