Rádio Observador

Startups

Portugal Ventures investiu 9 milhões de euros em 14 startups em 6 meses

Nas últimas oito startups, a sociedade pública de capital de risco investiu mais de 5 milhões de euros. Desde 2012, a Portugal Ventures investiu 130 milhões de euros em mais de 100 novas empresas.

Rita Marques é presidente da Portugal Ventures desde abril de 2018

JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

A Portugal Ventures investiu 9 milhões de euros em 14 startups no primeiro semestre do ano. Nas últimas oito empresas — Azitek, Beamian, CellmAbs, Chemitek, Fyde, Lovys, Noocity e TargTex –, a sociedade pública de capital de risco investiu mais de cinco milhões de euros em parceria com outros investidores nacionais e internacionais, que complementaram as rondas com 2,8 milhões de euros.

Aos oito investimentos resultantes da Call MVP — programa que financia projetos que já têm protótipos em teste –, juntam-se as seis startups de Turismo financiadas em junho, fevereiro e e abril, a Oliófora, XLR8, Homeit, TripWix, Advertio e a Agrimarketplace.

Com estes investimentos, a Portugal Ventures integra no seu portefólio um conjunto de empresas que aportam sinergias relevantes na troca de conhecimento e experiência, bem como oportunidades comerciais com as empresas que já têm em carteira”, lê-se no comunicado divulgado pela capital de risco esta quarta-feira.

A Call MVP teve como objetivo financiar projetos que prevejam a criação de um produto mínimo viável e sua comercialização no mercado global. Houve 171 candidaturas na última edição. Para a presidente do operador público de capital de risco, Rita Marques, “estes novos investimentos representam a importância da Portugal Ventures na dinamização do mercado em conjunto com outros parceiros de coinvestimento”.

A Portugal Ventures investiu 130 milhões de euros em mais de 100 novas empresas, desde 2012. Gere, atualmente, uma carteira de investimentos de 200 milhões de euros.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: apimentel@observador.pt
Combustível

Os motoristas e o mercado

Jose Pedro Anacoreta Correira

Quando o Governo não consegue instrumentalizar politicamente os sindicatos, passa ao ataque. A luta e defesa dos trabalhadores é só para trabalhadores do Estado e filiados na CGTP.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)